Polícia volta ao local onde apreendeu 221 quilos de maconha para novas escavações

-

Por Carlos Dickow e Alvaro Pegoraro

Agentes da Polícia Civil de Venâncio Aires e da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), de Santa Cruz do Sul, voltaram hoje à propriedade em Linha Herval, no interior da Capital do Chimarrão, onde ontem foram apreendidos 221 quilos de maconha, colete balístico com inscrição do Instituto-Geral de Perícias (IGP), balança de precisão, um simulacro de fuzil e três pés de maconha, entre outros materiais relacionados ao tráfico.

Como a maior parte do entorpecente foi encontrada dentro de tonéis, que estavam enterrados, desta vez os policiais têm o apoio de uma retroescavadeira cedida pela Prefeitura. A máquina está sendo usada para novas escavações, pois segundo o delegado Vinícius Lourenço de Assunção, que comanda a operação, há a suspeita de que armas e mais drogas possam estar escondidas no local. Os agentes também utilizaram um detector de metais. “A propriedade tem uma extensão de aproximadamente seis hectares e queremos ter certeza de que fizemos uma varredura completa”, explica.

Foto: Alvaro Pegoraro

De acordo com Assunção, a mãe do homem de 33 anos que foi preso ontem, seria uma das herdeiras da propriedade, mas não teria conhecimento que o local estaria sendo utilizado com esconderijo de drogas. Hoje, ao chegarem à casa, os agentes encontraram um bilhete – escrito com caneta, em uma folha de caderno, e pendurado em uma cerca de estender roupas -, que informa sobre a prisão do suspeito. O bilhete, conforme a Polícia, seria uma forma de outras pessoas que frequentam o local tomarem conhecimento da operação contra o tráfico.

Foto: Alvaro Pegoraro

Ainda sobre o homem preso, Assunção afirma de que seria representante de “uma facção poderosa, com cargo de destaque na hierarquia”. A suspeita é de que, além de abastecer o comércio de drogas em Venâncio Aires, a organização criminosa levaria parte do produto para municípios vizinhos. “É uma quantidade suficiente para abastecer vários pontos. Foi um golpe duro, pois apreendemos a droga e prendemos um indivíduo de confiança da organização. Se não fosse, não teria toda esta maconha sob sua custódia”, diz o delegado.

A estimativa é de que os 221 quilos de entorpecente apreendidos poderiam render aproximadamente R$ 1 milhão à facção. “Renovamos o mandado de busca e apreensão junto à autoridade judiciária, pois temos informações de que pode haver mais drogas, mas, principalmente, armas neste local”, comenta Assunção. Um tijolo de maconha foi encontrado, perto de bananeiras. O delegado acredita que a droga não é do mesmo carregamento de ontem, pois parece estar mais velha e pode ter sido esquecida no local.

Quase no final das buscas, por volta das 17h, os agentes encontraram um tijolo de maconha, que pesou 750 gramas. A droga estava escondida dentro de um bananal e conforme o delegado Vinícius, é diferente daquela apreendida na segunda-feira, 3. “Ao que parece, esta droga foi esquecida lá, pois está velha”, disse.

Notícia atualizada às 9h12min

LEIA MAIS:

notícias polícia Folha do Mate

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes