Na Peva, porções de maconha e cocaína foram apreendidas antes de chegar às celas (Foto: Brigada Militar/Divulgação)

Depois das quase diárias tentativas de fazer chegar drogas e outros objetos ilícitos através de arremessos, aos internos da Penitenciária Estadual de Venâncio Aires, o modo foi inovado. Na madrugada desta terça-feira, Brigada Militar e agentes da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) descobriram que pessoas usaram um drone para fazer uma grande porção de maconha e cocaína chegar até próximo das galerias.

De acordo com a capitão Michele da Silva Vargas, nos primeiros minutos da madrugada os policiais militares que estavam nas guaritas ouviram o barulho de um drone sobrevoando o local, mas ele não possuía luzes. Também foi possível constatar que havia um objeto pendurado por um fio.

Os agentes penitenciários foram acionados e a ação conjunta resultou na localização de um pacote de grande porte, próximo a uma das galerias. Dentro dele havia dois ‘tijolos’ de maconha, que pesaram 201,99 gramas, e duas porções de cocaína, que pesaram 99,47 gramas.

O material foi apreendido e a casa prisional disse que adotará as medidas cabíveis. O ‘piloto’ do drone, assim como o aparelho, não foram localizados.

Desde o dia 23 de março, quando as visitas foram suspensas, Brigada Militar e agentes da Susepe apreenderam mais de 10 quilos de drogas que foram arremessadas para o pátio da casa prisional.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome