Maioria dos acidentes com morte são em rodovias (Foto: Alvaro Pegoraro/Arquivo FM)

A violência no trânsito se revela em números. No ano passado, as ruas e rodovias que passam por Venâncio Aires registraram 16 mortes, o que representa 1,33 mortes a cada mês. Do total de vítimas, 77% eram do sexo masculino e morreram em acidentes em rodovias, sendo mais da metade motoristas ou caroneiros de uma moto ou de um carro. De positivo, a redução de 12,5% das vítimas em relação ao ano anterior.

Estatísticas da reportagem da Folha do Mate revelam que em 2018, o número de mortes foi maior: 18 pessoas morreram no trânsito da Capital Nacional do Chimarrão, sendo que 71,5% eram do sexo masculino. Do total de vítimas daquele ano, 11 estavam sobre motos, sendo que 11 dos acidentes fatais foram na RSC-287. No Estado, 1.670 pessoas perderam a vida em acidentes em 2018. Os dados do ano passado ainda não foram divulgados.

Para o Grupamento Rodoviário, o excesso de velocidade, as ultrapassagens em locais proibidos, a mistura de álcool e direção e a desatenção (muitas vezes relacionadas ao uso do telefone celular) foram as principais causas dos acidentes registrados no município nos últimos dois anos. Tanto em 2019, quanto em 2018, julho foi o mês mais violento, com três mortes em cada período. Em 2018 também foram registradas três mortes no mês de abril.

Do total de vítimas do ano passado, 13 eram homens e três, mulheres. As estatísticas mostram que cinco vítimas ocupavam motocicletas, cinco andavam em automóveis, duas em bicicletas, uma conduzia um trator, uma era cadeirante e uma estava a pé. Das três mulheres vítimas, duas foram atropeladas. Em 2018 morreram 14 homens e quatro mulheres. Onze vítimas andavam em motos, três em carros, uma em um caminhão, uma de bicicleta e duas foram atropeladas.

Dos 32 acidentes que resultaram em 34 mortes entre 2018 e o ano passado, 16 foram na RSC-287, oito na RSC-453, três na ERS-422, uma na ERS-244, quatro na área urbana e duas no interior. Isso mostra que 84,4% das mortes foram em rodovias.

Referente aos acidentes de 2018, especificamente na RSC-287, sete deles foram registrados entre Linha Ponte Queimada e Linha Mangueirão; os outros quatro foram em Linha Bem Feita, nas imediações do restaurante Casa Cheia. Dos cinco acidentes registrados no ano passado na rodovia de liga Santa Cruz a Porto Alegre, quatro foram nas proximidades do Casa Cheia e um, em Ponte Queimada.

Referente as quatro mortes no ano passado, na RSC-453, duas foram no bairro Coronel Brito e duas entre a ponte sobre o Arroio Castelhano e Linha Grão Pará. Das quatro tragédias de 2018 na rodovia que liga Venâncio a Lajeado, duas foram sobre a ponte do arroio Castelhano, uma em linha Grão Pará e uma no bairro Coronel Brito.

SAIBA MAIS

Estatísticas do Departamento de Trânsito (Detran RS), referentes a 2018 (as de 2019 ainda não estão concluídas), traçam um perfil da acidentabilidade com morte no Estado. Os dados revelam que a maioria dos acidentes com mortes aconteceram nos sábados pela manhã, em uma rodovia estadual e envolvem automóveis, que colidiram. As maiores vítimas são pessoas do sexo masculino, com idades entre 21 e 24 anos e que conduziam os veículos.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome