Embora tenha apoio da minoria da Câmara em relação ao turno único, presidente Eduardo Kappel diz que vai manter decisão para assegurar economia de R$ 3,5 mil mensais (Foto: Carlos Dickow/Folha do Mate)

O presidente da Câmara de Vereadores de Venâncio Aires, Eduardo Kappel (Progressistas), bancará o turno único no Legislativo até o fim do ano. Segundo ele, a medida garante uma economia de R$ 3,5 mil mensais, “que são repassados, por exemplo, para a compra de óleo diesel, assegurando que as máquinas da Prefeitura não parem e as estradas do interior sejam recuperadas”. Instituído por ato da Mesa Diretora, o turno não agrada a maioria dos parlamentares. Além de Kappel, são favoráveis a este horário reduzido, das 7h30min às 13h30min, Adelânio Ruppenthal (PSB), Zé da Rosa (PSD) e Clécio Espíndola, o Galo (PTB).

Apesar de ter a convicção de que a medida contribui para a geração de economia, o presidente não tem sequer a unanimidade dos integrantes da Mesa. A secretária Helena da Rosa (MDB) está entre os que se posicionam contrários ao turno único. “Fui voto vencido. Ao ser consultada, deixei claro que não concordo”, afirma. Assim como Helena, Ana Cláudia do Amaral Teixeira (PDT) argumenta que o turno único atrapalha as atividades legislativas, especialmente por restringir o tempo em que parlamentares e assessores estão à disposição da comunidade. “Me preocupa o que estamos fazendo com o Poder Legislativo”, comenta.


“Sei que o Brasil é a terra do futebol e do Carnaval, mas eu não vou fingir que estou trabalhando e deixar a Casa aberta aberta, gastando, luz, água, papel higiênico, material de escritório e internet”.

EDUARDO KAPPEL – Presidente da Câmara


As outras duas vereadoras mulheres – Izaura Landim (MDB) e Sandra Wagner (PSB) – também não concordam com a adoção do turno único, mesma posição de Ciro Fernandes (PSC), Nelsoir Battisti (PSD), André Puthin (MDB), Tiago Quintana (PDT), Ezequiel Stahl (PTB) e Sid Ferreira (PDT). O petebista Gilberto dos Santos é o único entre os 15 vereadores que entende que “tanto faz” adotar o turno único ou não. “Quando fui presidente, eu que mandava. É uma decisão da Mesa Diretora, por isso o que o Duda (Eduardo Kappel) decidir, está resolvido. A gente tem notado que dá economia”, manifesta o vereador de situação.

Internet

A respeito do turno único, o presidente da Câmara ataca pessoas que utilizam a internet e ainda as redes sociais para fazer críticas à adoção da medida: “A internet está cheia de imbecis e idiotas que são completamente despreparados”. De acordo com ele, estas pessoas nunca forma à Câmara, nem mesmo lembram em quem votaram na última eleição. “Só não está a favor do turno único quem não entende de administração pública. Tem político que tem medo de imprensa e opinião pública, o que não é o meu caso, embora respeito muito ambos”, declara, acrescentando que suas metas são chegar ao fim do ano com o maior número de projetos votados, maior valor de verbas devolvidas e menor montante de gastos com diárias. “Peço desculpas por ter feito turno integral em maio e junho, pois perdi R$ 7 mil”, sustenta Kappel.

O que pensam

  • Favoráveis: Eduardo Kappel (Progressistas), Adelânio Ruppenthal (PSB), Zé da Rosa (PSD) e Clécio Espíndola, o Galo (PTB).
  • Contrários: Helena da Rosa (MDB), Ciro Fernandes (PSC), Ana Cláudia do Amaral Teixeira (PDT), Izaura Landim (MDB), Sandra Wagner (PSB), Tiago Quintana (PDT), Nelsoir Battisti (PSD), André Puthin (MDB), Ezequiel Stahl (PTB) e Sid Ferreira (PDT).
  • Tanto faz: Gilberto dos Santos (PTB).

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome