Epstein (na tribuna) e Portell (esquerda) foram os representantes da Corsan na audiência pública desta segunda-feira (Foto: Carlos Dickow)

O superintendente da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) para a Região Central, José Roberto Epstein, ocupou a tribuna da Câmara de Vereadores, na noite desta segunda-feira, 21, para esclarecer dúvidas dos parlamentares e também questões levantadas pela comunidade em relação às obras de esgotamento sanitário que estão sendo realizadas pelas estatal em Venâncio Aires. A audiência pública foi um pedido do vereador Arnildo Camara (PTB).

Epstein teve a companhia do engenheiro Odinei Portella, coordenador regional da Corsan e responsável pelo acompanhamento das obras. Também marcaram presença, mas não chegaram a se pronunciar, o gerente da unidade de Venâncio Aires da estatal, Ilmor Dörr, os engenheiros Vinícius Daros e Alex Gener – ambos da Encosan, empresa que executa os trabalhos – e Alexandre Jung, engenheiro da Prefeitura responsável pela fiscalização das obras no município.

O principal tema abordado durante o encontro de quase duas horas foram os problemas registrados nas ruas por onde passam as redes coletoras de esgoto. Vários vereadores afirmaram que têm sido cobrados pela comunidade em razão dos desníveis nas vias e ouviram do superintendente que “o adensamento do pavimento é normal e as patologias que aparecerem serão solucionadas”. De acordo com Epstein, o contrato entre Corsan e Prefeitura prevê que a empresa executora das obras ofereça garantia de cinco anos para os serviços relacionados ao esgotamento.

Até o momento, segundo ele, o Executivo já encaminhou solicitações para análises em 24 ruas que tiveram queixa, seja do Município ou da comunidade. “Temos profissionais responsáveis pelo acompanhamento dos trabalhos. Toda a reivindicação será apurada e, se necessário, faremos as adequações”, garantiu. Epstein afirmou que tem conhecimento de que há transtorno para os cidadãos à medida que as obras avançam, mas lembrou que “o benefício vai ficar para sempre”. Ele disse que as obras poderiam estar em estágio mais avançado, mas a Prefeitura só autoriza a abertura de 12 ruas por vez, justamente pelo fato de que reclamações relacionadas a trechos de vias onde já houve intervenção estavam se acumulando.

Na prática, ficou acertado que os parlamentares enviarão à Corsan um documento no qual constarão todos os problemas identificados até o momento e terão canal direto com a estatal para atualização das informações. Proponente da audiência pública, Arnildo Camara (PTB) afirmou que a participação dos representantes da Corsan e da Encosan foi importante para que as dúvidas pudessem ser sanadas. Ele promete dar continuidade ao acompanhamento dos serviços, juntamente com os demais colegas vereadores e a Prefeitura de Venâncio Aires.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome