Desde agosto de 2018, o projeto intitulado Registro Sonoro, elaborado pelo produtor cultural e musical Thomás Lenz, tem oportunizado a artistas solo e grupos musicais de Venâncio Aires registrarem suas obras em um estúdio profissional. Este convênio foi contemplado através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Lemic), que tem por finalidade apoiar financeiramente projetos culturais em Venâncio Aires.

Foram sete projetos selecionados, tendo como prioridade o artista ou grupo que nunca havia gravado em estúdio: Luciana Lopes, Renato Ruwer, Amanda Marques Janisch, Banda Riffnaria, Lil Paker (Paker), Novichok5 (IDGAF) e Banda Mastodonte.

A música de Ruwer fala de Linha Santa Cecília, interior de Venâncio Aires, onde o músico cresceu e fez seu rincão. Santa Cecília também é padroeira dos músicos.Lil Paker se destaca no hip hop com base eletrônica e mescla de guitarras pesadas.

A Novichok5, que no início do projeto se chamava IDGAF, trocou de nome, dando o nome inicial do grupo à música. A banda traz o rock instrumental liderada pelo músico Eduardo Miotto. Já a banda Mastodonte criou uma composição que não ganhou pré-produção. Sobre o som de bateria, a galera gravou as guitarras e o contrabaixo. Uma versão em inglês da música está sendo estudada pelos integrantes do grupo.

Foto: Rui Borgmann / InVoga AssessoriaDudu Peiter, da banda Mastodonte
Dudu Peiter, da banda Mastodonte

A banda de punk rock Riffnaria gravou sua primeira música em estúdio. Chega, composição de Anderson Negão, traz um arranjo em versão punk. Amanda Marques Janisch grava sua canção também pela primeira vez. A balada é conduzida principalmente pelo som de um violão. A música ainda não foi batizada. Já a artista Luciana Lopes compôs um samba com gravação de percussões e de cavaquinho de Edinho Nascimento. A composição é antiga, no entanto, nunca havia sido gravada.

GRAVAÇÕESAs gravações em estúdio das bandas e artistas solo foram feitas com certa agilidade, porém questões de agenda dos participantes e também de saúde adiaram a conclusão. A ideia, segundo Thomás Lenz, era deixar o material concluído no fim de 2018. A nova meta para a concretização das gravações em estúdio é fevereiro de 2019.