Foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira, 23, o edital que prevê abertura de licitação para a execução de 10,03 quilômetros de terceiras faixas na RSC-287, entre Venâncio Aires e Santa Cruz do Sul. No trecho da Capital Nacional do Chimarrão serão 4,66 quilômetros de faixas adicionais, já no trecho da Terra da Oktoberfest serão mais 5,37 quilômetros em obras. Dos 12 pontos previstos para receberem as terceiras faixas, sete estão localizados no trecho venâncio-airense da rodovia.

Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MateTrecho entre o trevo de Linha Hansel e o Posto Mate Amargo será contemplado com terceira faixa
Trecho entre o trevo de Linha Hansel e o Posto Mate Amargo será contemplado com terceira faixa

 O presidente da EGR, Nelson Lídio Nunes, esclarece que os pontos escolhidos para ganharem as terceiras faixas foram identificados como de fluxo intenso e com acostamentos resistentes para a execução das obras. “Tínhamos outros locais em análise, mas precisávamos optar por aqueles que oferecem condições para a ampliação e segurança para os usuários”, explica. Nunes salienta ainda que este “é o começo da recuperação da rodovia” e que, se o processo tramitar sem percalços, as terceiras faixas podem ter começo de execução ainda este ano. “Nossa previsão inicial é dezembro”, comenta o presidente.

A abertura dos envelopes com as propostas de empresas interessadas em tocar as obras ocorrerá no dia 20 e novembro, na sede da EGR, em Porto Alegre. A previsão de investimento, segundo Nelson Lídio Nunes, é de R$ 6 milhões. “Mas é sempre bom deixar claro que obra em rodovia é que nem a obra de reforma na nossa casa: a gente sabe quando começa, mas não sabe quando termina”, relata ele. Até 2023, o planejamento da EGR prevê que o trecho da RSC-287 entre Venâncio Aires e Santa Cruz do Sul tenha 20 quilômetros de terceiras faixas. “Onde houver suporte lateral, vamos melhorar a estrutura”, garante.

MESMA TARIFA

O diretor da estatal garante que não há, no momento, discussão sobre revisão tarifária dos pedágios da RSC-287. As obras, segundo ele, não têm relação com aumento de tarifa, “embora saibamos que há uma defasagem causada pela redução de tarifa, determinada no governo anterior, sem qualquer planejamento ou estudo técnico, o que foi, inclusive, apontado pelo Tribunal de Contas do Estado”. Ele destaca ainda os investimentos feitos em quase quatro anos do atual governo, especialmente o viaduto Fritz e Frida, em Santa Cruz do Sul, recuperação de galerias em Candelária e Vera Cruz e manutenção permanente.

Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MateTrecho nas proximidades do Motel Strauss terá terceira faixa
Trecho nas proximidades do Motel Strauss terá terceira faixa ‘alongada’ com as obras previstas pela EGR

CONSCIÊNCIA – O presidente da EGR, Nelson Lídio Nunes, lembra que, “quanto melhor a rodovia, mais aumenta a velocidade dos veículos e caminhões”. Nesse sentido, pede que os condutores tenham consciência e tomem todos os cuidados necessários para que a RSC-287 não seja frequente cenário de acidentes com vítimas fatais. “Sabemos que 95% dos acidentes ocorrem por imprudência, imperícia e negligência. Só 5% são falhas mecânicas ou episódios de mal súbito, por exemplo. Precisamos ter mais responsabilidade”, afirma.

Ele também pede que caminhoneiros e empresas respeitem o peso máximo das cargas, pois segundo recentes testes feitos pela estatal, alguns caminhões chegam a circular com até 64 toneladas, quando o permitido é 40 toneladas. A EGR, em parceria com o Governo do Estado, pretende implementar ações de fiscalização nas rodovias. Conforme Nunes, técnicos da estatal têm participado de encontros com especialistas da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para tomarem conhecimento sobre os recursos tecnológicos que podem ser empregados na fiscalização. “Temos, por exemplo, intenção de apoiar a iniciativa das balanças dinâmicas, que funcionam com sensores. As balanças estáticas têm custo elevado de manutenção”, conclui.

“Sabemos da reivindicação da comunidade regional pela duplicação da RSC-287, mas uma obra como essa demanda R$ 1,5 bilhão de investimento. Entre fazer algo e não fazer, decidimos pelas terceiras faixas, que certamente vão desafogar o tráfego.”NELSON LÍDIO NUNESPresidente da EGR

Onde as obras serão executadas

Sentido Venâncio Aires-Santa Cruz do Sul, à direita

Quilômetro 82,460 até 82,740 (280 metros), em Venâncio, próximo ao Motel StraussQuilômetro 83,340 até 84,300 (960 metros), em Venâncio, próximo ao Restaurante CabanaQuilômetro 85,200 até 85,800 (600 metros), em Venâncio, próximo ao Posto Mate AmargoQuilômetro 86,100 até 86,740 (640 metros), em Venâncio, próximo do pedágio de Vila ArlindoQuilômetro 89,200 até 90,400 (1.200 metros), em Santa Cruz, próximo à ponte do Arroio PinheiralQuilômetro 95,200 até 96,100 (900 metros), em Santa Cruz, próximo à ponte do Arroio Schimidt

Sentido Venâncio Aires-Santa Cruz do Sul, à esquerda

Quilômetro 82,180 até 82,460 (280 metros), em Venâncio, próximo ao Motel StraussQuilômetro 84,600 até 85,200 (600 metros), em Venâncio, próximo ao acesso de Linha HanselQuilômetro 87,000 até 88,300 (1.300 metros), em Venâncio, próximo à ponte do Taquari MirimQuilômetro 90,400 até 91,700 (1.300 metros), em Santa Cruz, próximo à Madeireira BroiloQuilômetro 93,300 até 94,780 (1.480 metros), em Santa Cruz, próximo ao Posto NevoeiroQuilômetro 103,290 até 103,780 (490 metros), em Santa Cruz, próximo ao bairro Renascença

OBRAS NA RSC-453

1 A EGR, em parceria com a Secretaria Estadual dos Transportes, vem avançando na recuperação da RSC-453. Estão sendo investidos mais de R$ 7,6 milhões na rodovia, com recursos da praça de pedágio de Cruzeiro do Sul.

2 Por meio de contrato com a RGS Engenharia, via licitação, a EGR está realizando a restauração da extensão da rodovia entre Lajeado e Venâncio Aires, do quilômetro 0 ao 29. Recentemente, foram realizados os serviços de recapeamento do quilômetro 0 ao 5, micro revestimento do quilômetro 5 ao 10 e fresagem e recapeamento do quilômetro 14 ao 25.

 

Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MateNa RSC-453, EGR investe em asfalto
Na RSC-453, EGR investe em asfalto ‘borracha’, que leva pneus e tem mais durabilidade

 

3 No momento, os serviços encontram-se do quilômetro 10 ao 14, onde está sendo feito remendo profundo com aplicação de drenagem, finalizando com recapeamento de asfalto de borracha. Esta tecnologia, de acordo com o presidente da estatal, Nelson Lídio Nunes, é produzida a partir da reciclagem de pneus, apresentando maior durabilidade em comparação com o tradicional, além de oferecer mais segurança, pois aumenta a aderência no momento da frenagem, principalmente em pista molhada.