Chuva favorece plantio das culturas da safrinha

-

A chuva registrada em toda a região no fim da tarde e início da noite de quarta-feira, 15, trouxe a umidade necessária para os produtores rurais retomarem e intensificarem o plantio das principais culturas da safrinha, como o milho e a soja, por exemplo. O volume registrado varia entre os 40 e 61 milímetros em todo o município.

O extensionista rural do escritório municipal da Emater/RS-Ascar, Alex Davi Gregory, diz que estas chuvas não vão reverter as perdas já instaladas em algumas culturas de verão, mais especificamente, o tabaco e o milho safra. Gregory reforça que as chuvas vão propiciar a recuperação e favorecer o desenvolvimento de diversas outras culturas, como o aipim, batata-doce, as pastagens perenes e de verão para o gado leiteiro e também de corte, além das olerícolas.

O retorno da umidade vai possibilitar aos produtores replantarem as olerícolas de verão, porém não adianta chover se o produtor não se precaver com irrigação, em caso de um período mais longo sem chuva, bem como se não fizer o sombreamento para proteger as culturas – a instalação de sombrite. “Se ele não adotar estas medidas, contabilizará perdas, porque estas culturas vão queimar na lavoura e não vão se desenvolver normalmente, perdendo assim, valor de comercialização”, observa.


“Em caso de nova eventual estiagem, as medidas adotadas para a captação de água podem não resolver o problema por completo, porém vão amenizar a situação.”

ALEX DAVI GREGORY – Extensionista Rural da Emater/RS-Ascar


ABASTECIMENTO

Quanto à falta de água, Gregory salienta que este volume é insuficiente para normalizar o lençol freático e que, para que isso ocorra, é necessário que chova um volume acentuado em poucos dias. Ele reforça que agora, com a estiagem, é importante que os produtores que enfrentam a falta de água, principalmente para o consumo humano, se previnam com a perfuração de poços artesianos e abertura de açudes para a captação de água para consumo dos animais, além da criação de associações para a construção de redes hídricas.

RELATÓRIO

  • Nas próximas semanas, a chuva pode retornar ao estado, afugentando a estiagem e impedindo o avanço de perdas na agricultura. É o que aponta o relatório técnico unificado da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Instituto Rio-Grandense do Arroz (Irga) e Emater/RS-Ascar sobre a estiagem e seus efeitos, apresentado na quinta-feira, 16, no Palácio Piratini, a representantes das Federações dos Municípios (Famurs), de Trabalhadores na Agricultura (Fetag), das Cooperativas Agropecuárias (Fecoagro) e da Agricultura (Farsul).
  • Porém, se as previsões dos principais centros de meteorologia se confirmarem, as próximas chuvas estão previstas somente para os dias 30 (7 milímetros) e 31 de janeiro (14 milímetros). Até lá, as previsões indicam dias de sol com nebulosidade variada. A tendência é que no próximo mês, a chuva volte para todo o Rio Grande do Sul, dentro da média histórica.

CARGAS DE ÁGUA 

Até o fim da tarde desta sexta-feira, 17, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural recebeu 51 solicitações de cargas de água tratada para consumo humano, sendo todas atendidas e 15 cargas de água para consumo animal e igualmente todas atendidas. Quanto às solicitações para limpeza de açudes para a captação de água, os pedidos passam de 200, com mais de 150 atendidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes