No ano passado, 20 grupos do interior participaram dos intercâmbios (Foto: Edemar Etges/Folha do Mate)

Integrantes de 24 clubes de mães do interior de Venâncio Aires vão ter oportunidade de trocar experiências, aprofundar os conhecimentos sobre segurança e soberania alimentar e refletir sobre gerenciamento de conflitos. Os intercâmbios começam dia 4 de março, quando o Clube de Mães Flor do Sul, de Linha Cerro dos Bois, recebe o Clube de Mães Helena Bohn, de Vila Teresinha.

Este é o terceiro ano do projeto, uma iniciativa da Emater/RS-Ascar, desenvolvida em parceria com o Gabinete da Primeira-dama, Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), Sindicato Rural e Prefeitura de Venâncio Aires.

“O intercâmbio está crescendo a cada ano e proporciona uma maior integração dos clubes de mães, possibilitando que as mulheres conheçam realidades diferentes no município e que haja uma troca cultural”, observa a extensionista da Emater, Djeimi Janisch.

Segundo ela, neste ano, o tema principal dos encontros será gerenciamento de conflitos, assunto que será abordado pela professora e secretária municipal de Educação, Alice Theis. “Tanto na família quanto nos próprios clubes, as mulheres atuam como mediadoras e buscam intermediar conflitos. O objetivo é refletir sobre como lidar como isso e também como expressar os conflitos internos que surgem”, explica Djeimi.

O número de clubes de mães participantes dos intercâmbios é 24- quatro a mais do que no ano passado. De março a agosto, serão realizados 12 encontros. Os eventos estão marcados, sempre, para as 13h30min.

HISTÓRIA DO ANFITRIÃO

Além disso, durante os encontros, o clube de mães anfitrião vai apresentar sua história, as atividades realizadas e o número de sócias. A programação ainda contará com uma fala técnica de profissionais da Emater, a partir do tema escolhido pelo grupo, dentre cinco assuntos relacionados à soberania e segurança alimentar: horta doméstica, pomar doméstico, avicultura colonial, bovinocultura de leite e saneamento básico.

“Os intercâmbios culminam com o Fórum de Segurança e Soberania Alimentar, por isso, já buscamos trabalhar esses temas nos encontros, de forma bem prática. Na maioria das propriedades, são as mulheres que cuidam da horta, tiram leite das vacas, preparam os alimentos, por isso, é importante que sejam levadas informações até elas”, destaca a extensionista da Emater.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome