Macela: uma colheita que ultrapassa gerações

-

Com a chegada da Páscoa, muitas famílias já se preparam para colher e armazenar a macela nova. Uma das mais fortes tradições da Quaresma diz que no feriado de Sexta-feira Santa, antes mesmo do sol nascer, é preciso colher o chá. A tradição explica que ela deve ser colhida antes do sol raiar e os fiéis acreditam que o orvalho que cai na planta tem o poder de abençoar.

Nesse ano, o feriado Santo será no dia 2 de abril, daqui a 10 dias. Mas a colheita da macela já iniciou há alguns dias. Em Vila Santa Emília, a reportagem acompanhou o casal de agricultores Clécio Luiz Weber, 62 anos e Lori Maria Stülp Weber, 58 anos, cedinho na manhã da última quinta-feira, 18, para a colheita do chá.

Lori e Clécio costumam colher a macela quando ela está no ponto e na Sexta-feira Santa colocam o chá no sereno para manter a tradição (Foto: Roni Müller/Folha do Mate)

O casal é produtor de orgânicos e, na propriedade, o chá é encontrado por todas as partes. “Ele nasce em qualquer brejo. Gosta de nascer naquela terra que a gente não mexe muito de um ano para o outro, no nosso caso, são as lavouras de cana-de-açúcar”, explica Weber.

Em anos anteriores, o casal relembra que nessa época a procura era intensa. “No mês que antecede a Páscoa a gente sempre teve muita procura”, cita Lori. Neste ano, devido à pandemia, a procura está menor. A família que também realiza feiras na cidade com o Grupo Eco da Vida, suspendeu as atividades nas últimas semanas devido ao agravamento da Covid. “Se não fosse o momento que estamos passando a venda já estaria a mil”, complementa a agricultora.

(Foto: Roni Müller/Folha do Mate)

A colheita da macela na família Weber sempre inicia antes da sexta-feira Santa. “Tem anos que o chá não se conserva até a Páscoa na lavoura. Por isso, a gente colhe antes e deixa ele secando. Na véspera da Sexta-feira Santa se a previsão não está marcando chuva a gente coloca todo ele no sereno para manter a tradição”, comenta Lori.
A tradição é dos católicos, mas na família do casal de Vila Santa Emília a cultura passa de geração por geração. “A gente sempre fez isso, não sei nem dizer quem começou, mas a gente sempre fez”, salienta a agricultora.

Chá orgânico

Por produzirem alimentos orgânicos, a macela também tem um diferencial, segundo Lori. “Como a gente não utiliza nada de agrotóxico na propriedade e tem as barreiras ecológicas, é um chá orgânico e que não faz mal algum.” A agricultora deixa um alerta. “Tem muita gente que pega o chá na beira das estradas, não é o aconselhado, pois ele tem muitos poluentes. Como é um chá utilizado para dores estomacais, pode fazer mais mal ainda.”

Por ser um serviço mais delicado e que demanda tempo e paciência, a colheita é feita por Lori. “O Clécio ajuda, mas é um serviço que eu faço geralmente. Gosto de fazer com calma.” A colheita feita pela família Weber é realizada de duas formas. “Alguns a gente corta apenas o chá, outros arrancamos o pé e deixamos secar em casa”, cita o produtor. A única regra é não colher depois que o sol raiar, pois segundo Weber, o sol desbota o chá.

LEIA MAIS: Feiras de peixes da Apiva estão confirmadas para a Semana Santa

Após a colheita, a macela é armazenada em um local ventilado até a Sexta-feira Santa. “Se o clima permitir vamos colocar no sereno no feriado”, salienta Lori. Após o casal irá guardar apenas as flores da macela. “A gente vende o ano todo em pacotinhos e ainda guarda para a gente”, acrescenta Lori.

A macela é muito utilizada para problemas estomacais e como travesseiro medicinal. “Além disso, o chá pode ser usado como um calmante, principalmente para colocar em baixo do travesseiro algumas florzinhas quando se está com dor de cabeça”, comenta Lori.

“Temos muito chá de macela na nossa propriedade, mas acredito que isso se deve
ao fato da gente plantar orgânicos. Desde que me

(Foto: Roni Müller/Folha do Mate)

conheço a tradição da colheita é
algo que passa de geração para geração.”

LORI MARIA STÜLP WEBER-Agricultora

Curiosidades

  1. Segundo o casal de agricultores, a macela pode ser colhida úmida, ela não estraga se for secada em ambiente ventilado. A única regra é não secar no sol e não colher ela no sol, pois afeta a cor da flor e pode interferir no sabor.
  2. A macela gosta de se desenvolver em capoeiras, locais onde dificilmente a terra é mexida pelo ser humano em um ano.
  3. O período ideal para a secagem da macela é de três semanas, em ambiente natural, com ventilação.
  4. Após a secagem, o chá de macela pode ser armazenado em saco plástico e escuro para conservar a cor natural do chá.
notícias rural Folha do Mate
https://folhadomate.com/category/noticias/rural/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes