A importância da rotina de consultas e dos cuidados em diferentes fases da vida da mulher

-

Ao longo da vida, a mulher passa por diferentes fases, com alterações no corpo, desde a primeira menstruação até a menopausa. Independente da etapa da vida que estiver, manter uma rotina de saúde, com acompanhamento de consultas e exames, é importante para garantir o bem-estar, a qualidade de vida e a prevenção de doenças.

A ginecologista e obstetra Marina Magagnin Naspolini explica que a primeira consulta com o ginecologista geralmente ocorre logo após a primeira menstruação, caso não haja nada incomum antes disso. “Essa consulta é fundamental para examinar a menina num geral, tirar possíveis dúvidas sobre saúde sexual e avaliar se seu desenvolvimento está dentro do esperado para a idade”, explica a médica que atua na Doctor Sul, em Venâncio Aires.

Depois isso, o ideal é que a próxima consulta ocorra antes de iniciar a vida sexual e que, nos anos seguintes, se mantenha um acompanhamento anual para tirar possíveis dúvidas, examinar as mamas e coletar o exame de pré-câncer, o famoso Papanicolau.

“Além da consulta de rotina, as mulheres devem procurar o ginecologista quando desejam engravidar, querem escolher um método anticoncepcional, possuem algum distúrbio de sexualidade ou estão entrando no período da menopausa (climatério)”, detalha a profissional.

De acordo com Marina, as alterações mais comuns que levam as mulheres a procurar um ginecologista são presença de corrimento ou coceira genital; dor pélvica; sangramento fora do período menstrual ou excessivo durante o período; dor, caroço ou saída de secreção das mamas; e desconforto com o método anticoncepcional.

A médica reforça a importância das visitas regulares da mulher ao ginecologista e de manter os exames em dia. “Mas, além de uma rotina médica adequada, para que uma mulher se mantenha com a saúde em dia, é preciso que tenha uma boa alimentação, tenha hábitos saudáveis e pratique atividade física”, ressalta.

Higiene íntima

Ter uma boa higiene intima não significa utilizar dezenas de produtos caros e cheirosos. Segundo a ginecologista e obstetra Marina Magagnin Naspolini, para uma boa higiene da vagina é importante o uso, principalmente, de água e, na área externa da vulva, o uso de sabão neutro. “Deve-se evitar sabonetes íntimos e uso de duchas vaginais. Evitar calcinhas e roupas muito justas e de tecidos que não transpiram também mantém a saúde íntima em dia”, explica.

Fases da vida da mulher

Durante a vida, a mulher passa por diversas transformações. Antes da primeira menstruação já se inicia o desenvolvimento dos caracteres sexuais, como o surgimento das mamas e dos pelos pubianos. Esses sinais surgem em torno dos 9 aos 18 anos de idade, quando se forma o corpo da mulher adulta.

Com o passar dos anos, há diversas modificações do corpo feminino de acordo com seu estilo de vida e número de gestações e finalmente, com cerca de 45 anos, as mulheres começam a entrar no climatério, quando, em torno dos 50 anos, chegam na menopausa (a última menstruação). Nesse período, a mulher vive diversas modificações, como secura vaginal, queda da libido, fogachos, depressão e insônia, entre outros.

A gestação também é acompanhada por diversas mudanças para a mulher, trazendo consigo muitos sentimentos, como medo e inseguranças. De acordo com a ginecologista e obstetra Marina Magagnin Naspolini, no início da gravidez são comuns dores na região pélvica, enjoos, azia e sono excessivo. Com o crescimento do bebê, começam os desconfortos para dormir, o inchaço nas pernas, o aumento das mamas e as dores no corpo. Além disso, a pele ganha estrias e manchas por conta dos hormônios.

Ginecologista Marina Naspolini destaca que, além das consultas periódicas, é fundamental fazer exercícios físicos, ter hábitos saudáveis e boa alimentação (Crédito: Arquivo pessoal)

Reflexão

Como manter a saúde mental, considerando que grande parte das mulheres tem uma grande sobrecarga mental e precisa aliar vida pessoal, profissional e maternidade?
“A mulher desde sempre sofre uma cobrança muito grande da sociedade para que cumpra diversas atividades ao mesmo tempo, quando na verdade ninguém tem a obrigação de ser boa em tudo. É muito importante que se tenha uma rede de apoio, principalmente após a maternidade e não se cobrar tanto. Está tudo bem se hoje você não está a fim de limpar a casa ou não conseguiu ir à academia. Faça o que estiver ao seu alcance, busque atividades que tragam prazer, se priorize, priorize sua saúde mental. Não busque a perfeição, se inspire em pessoas reais e não blogueiras que parecem ter uma vida perfeita, a vida real não é assim.”
Marina Magagnin Naspolini – ginecologista e obstetra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes