(Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

O presidente do Hospital São Sebastião Mártir (HSSM), Luciano Spies, teve nesta segunda-feira, 6, um dos momentos mais importantes desde que assumiu a função, no fim de maio do ano passado. Pela primeira vez, a instituição de saúde conseguiu quitar a folha dos funcionários em dia. Segundo Spies, foram R$ 124.097,94 para pagamento dos colaboradores da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e outros R$ 787.053,30 para os profissionais do hospital. O valor total para quitação do mês fechou em R$ 911.151,24.

De acordo com o presidente, também na segunda-feira foi feito o pagamento de um mês de atraso de honorários médicos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de serviços terceirizados, como os médicos do Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI), serviços de laboratório e fisioterapia, usando o recurso de R$ 200 mil da Câmara de Vereadores. Ontem, foram feitos os repasses de valores das cirurgias eletivas realizadas em fevereiro e março, como parte do pagamento dos atrasos referentes aos sobreavisos. “Está tudo sendo feito conforme negociação acompanhada pelo Ministério Público e pelo Simers”, comentou.

Spies afirma que a notícia é boa, porém pondera que o momento ainda é de cautela e não há espaço para satisfação demasiada, especialmente pela necessidade de enfrentamento ao coronavírus. “Esta pandemia está causando prejuízos para todos e os reflexos serão sentidos também pelo hospital logo adiante. O ideal era estarmos divulgando boas notícias em uma situação de normalidade. Seguimos projetando ações que nos permitam ter fluxo de caixa, porque seremos demandados além do normal em pouco tempo”, declarou.


“São boas notícias e estamos no caminho. Mas, como temos baixa ocupação no hospital, haverá reflexo direto no nosso faturamento de convênios e particulares. Por isso, ainda vamos precisar buscar recursos. O ajuste do contrato com o Município, retroativo a janeiro, também está nos ajudando e, agora, estamos na expectativa da liberação de emendas parlamentares.”

LUCIANO SPIES – Presidente do HSSM


PANDEMIA E TRATATIVAS

O conjunto de uma série de ações permitiu ao HSSM fazer o pagamento da folha em dia neste mês. O presidente lembra que, mesmo com a pandemia do coronavírus se alastrando, o fato de a casa de saúde ainda não ter sido atingida com força foi um dos fatores que levou ao comprimento da meta.

“Também conseguimos, junto a algumas instituições de crédito, especialmente Sicredi e Unicred, a prorrogação de prazo para pagamento de parcelas de financiamentos, o que nos possibilita trabalhar com algum fluxo de caixa”, explicou Spies, acrescentando que as doações da comunidade, médicos, empresários, clubes de serviços e “grande número de pessoas físicas nos possibilitou a aquisição de insumos para combate à Covid-19, praticamente sem que houve a necessidade de mexer no caixa da instituição neste momento”.

Segundo o presidente do HSSM, Luciano Spies, até que sejam liberadas as emendas parlamentares previstas para a casa de saúde, para que os compromissos sejam mantidos em dia será necessário um aporte extra de recursos. Ele informou que já existe conversa com o prefeito Giovane Wickert “para ver de que forma o Município poderá nos ajudar”.

De acordo com o presidente Luciano Spies, doações de pessoas físicas e jurídicas permitiram que o hospital adquirisse insumos para combate à Covid-19 quase sem mexer no caixa (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

INFORMAÇÕES 

• Segundo informações da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Venâncio Aires (Caciva), o valor das doações de empresas – visando o combate ao coronavírus – ao Hospital São Sebastião Mártir (HSSM) e à Secretaria Municipal de Saúde já se aproximam de R$ 30 mil.

• Além disso, conforme a Caciva, empresas se organizaram também para ajudar com suas produções, como por exemplo, materiais gráficos impressos gratuitos para o hospital pelos próximos 90 dias, incluindo prontuários, etiquetas e planilhas.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome