Toda última quarta-feira do mês, moradores do bairro Macedo têm compromisso. No fim da tarde, se reúnem com profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF), no posto, para discutir assuntos relacionados à saúde. O grupo, chamado de Comissão Local de Saúde, existe há mais de 10 anos e é aberto a todos os interessados.“Todo mês, estou aqui”, diz Eva Sirlei da Fonseca, 57 anos.

Moradora do bairro desde que nasceu, ela também é uma das representantes da comunidade no Conselho Municipal de Saúde. Para Eva, participar das comissões é uma forma de expôr as demandas e a opinião da população, em busca de melhorias para a saúde pública. “A gente que é da comunidade consegue saber melhor os problemas e as necessidades e trazer para a equipe do posto. Também indicamos quando algum morador precisa de visita da equipe”, explica Eva.

Foto: Juliana Bencke / Folha do MateProfissionais da ESF, residentes e moradores do bairro realizam encontro toda última quinta-feira do mês, às 17h
Profissionais da ESF, residentes e moradores do bairro realizam encontro toda última quinta-feira do mês, às 17h

Uma das demandas discutidas frequentemente pelo grupo é a contratação de mais agentes de saúde para o bairro. “Deveríamos ter 7, mas só tem 4. Já falamos isso várias vezes e até mesmo já levei esse assunto para o Conselho Municipal de Saúde”, conta.

“Trazemos os problemas da comunidade para cá, para ver o que pode ser feito”, complementa Isolde Loeblein, 70 anos, que, junto do marido Beno, 72 anos, é participante ativa da Comissão Local de Saúde.

Para ela, os encontros também possibilitam que se compreenda melhor as formas de trabalho e atividades do posto e, assim, se possa explicar para os vizinhos. “Quando as pessoas não entendem, conseguimos fazer um esclarecimento. Fizemos um intercâmbio”, destaca.

Foto: Juliana Bencke / Folha do MateAlém de atendimento médico, unidade conta com profissionais de diferentes áreas e atividades de convivência com moradores
Além de atendimento médico, unidade conta com profissionais de diferentes áreas e atividades de convivência com moradores

A psicóloga do posto, Carla Rosana Wietzke, explica que um dos objetivo é conseguir atrair mais moradores para participar dos encontros e discutir o Sistema Único de Saúde (SUS). “Gostaríamos de trazer mais gente para participar. Acreditamos que, quando tivermos todos os agentes de saúde na área, será possível mobilizar mais gente.” Para dona Isolde, a participação no grupo é gratificante. “Trazemos os problemas para cá para conversar, e não precisa ter estudo para participar”, ressalta.

Promoção de saúde

Além das reuniões da Comissão Local de Saúde, a ESF Macedo desenvolve uma série de ações voltadas à comunidade, visando a promoção de saúde. Entre as atividades estão grupo de dança, oficina de grafite, horta comunitária, Cine Debate, grupos de gestantes e de convivência, com confecção de artesanato. Além dos servidores que foram a equipe do posto, atuam no local profissionais residentes que cursam especialização na Escola de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (ESP/RS).