Vereadora Helena, professora Tayná e estudantes Emanuela, Eduarda e Maciel com o prefeito Giovane (Foto: Adriene Antunes/AI Prefeitura)

Se olharmos em casa, existem vários remédios guardados, que muitas vezes passam do prazo de validade ou não são mais usados. Esse tema mobilizou a comunidade e dele surgiram três projetos e frentes de pesquisa: a vereadora Helena da Rosa (MDB), que indicou ao Executivo a criação do programa ‘Farmácia Solidária’; a Secretaria de Saúde, que por conta de iniciativas de alguns pacientes já recebe doações de medicamentos ainda com possibilidade de uso; e de um grupo de alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) José Duarte de Macedo, que criou o projeto ‘Análise do descarte de medicamentos vencidos ou em desuso no município de Venâncio Aires’.

Na segunda-feira, 2, a vereadora Helena e a professora responsável pelo trabalho da José Duarte de Macedo, Tayná Luiza Henn, estiveram reunidas com o prefeito Giovane Wickert, acompanhadas dos alunos do 9º ano da instituição de ensino, Emanuela Lopes da Silva, Eduarda Kauffmann e Maciel Chaves, para debater a realização de uma campanha sobre o assunto em Venâncio Aires.

A proposta é unificar as ideias e a partir do dia 21 de dezembro lançar uma grande ação para mobilizar a comunidade sobre o descarte correto de remédios, sejam eles vencidos ou aqueles que não serão mais utilizados e que poderão ajudar outras pessoas.

FRENTES DE TRABALHO

Intitulada de ‘Doses de compaixão – Farmácia solidária’, a campanha tem dois objetivos principais. O primeiro de conscientizar a população a levar os medicamentos que não serão mais utilizados até uma unidade de saúde do Município. Os remédios que poderão ser utilizados por outros pacientes serão recolhidos nas unidades pela equipe de enfermagem e levados para a Farmácia Municipal onde passarão por uma triagem e depois serão repassados para outros pacientes. A proposta ainda busca minimizar o desperdício de medicamentos e criar um círculo de solidariedade entre quem não precisa mais da medicação e aquelas pessoas que ainda necessitam fazer uso do remédio.

A segunda frente de trabalho é mobilizar as farmácias instaladas em Venâncio Aires, para que tenham pontos de coleta de medicamentos vencidos. A proposta é fazer a logística reversa e impedir que os remédios que já passaram do prazo de validade não sejam jogados no lixo comum. Conforme o trabalho dos alunos da escola Macedo, o descarte incorreto pode causar diversos problemas à população, como a contaminação do meio ambiente e ainda alteração no sistema reprodutivo de animais. A pesquisa dos estudantes ainda mostrou que um quilo de remédios pode contaminar até 450 mil litros de água.

Atualmente, a Unimed em Venâncio Aires, tem um totem coletor de remédios fora da data de validade. A proposta é ampliar estes pontos oportunizando que a comunidade faça o descarte correto.

PROJETO ESCOLAR 

O projeto ‘Análise do descarte de medicamentos vencidos ou em desuso no município de Venâncio Aires’, da Emef José Duarte de Macedo foi apresentado na Mostra Municipal de Trabalhos Escolares de Venâncio Aires, realizada durante a Feira do Livro. Na oportunidade, os estudantes conquistaram 1° lugar na categoria Anos Finais. Com esta colocação, o grupo ganhou passaporte para a Mostratec em Novo Hamburgo, onde conquistaram o 2° lugar na categoria 3 (de 7° ao 9° ano).

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome