Venâncio retoma a vacinação contra a gripe nos postos de saúde

-

Com a confirmação da primeira morte no Rio Grande do Sul em decorrência da Influenza do tipo A – H3N2, no município de São Francisco de Paula, Venâncio Aires e demais municípios gaúchos estão em alerta. Na região da Serra, uma mulher de 67 anos, que não recebeu medicação antiviral e apresentava doenças crônicas, teve a morte confirmada na última quarta-feira, 22.

Segundo a enfermeira Carla Lili Müller, responsável pela Vigilância Epidemiológica e, no momento, também, pelo setor de imunizações da Capital do Chimarrão, percebe-se um aumento na procura por atendimento de pacientes com sintomas gripais.

No entanto, o município ainda não apresentou exames positivos para H1N1 e H3N2. “Com muitos testes para Covid-19 negativando, acredito que os sintomas venham de doenças gripais”.

Diante da situação, Venâncio também retomou a vacinação contra a gripe em todos os postos com salas de vacinação, enquanto houver estoque para aqueles que ainda não se vacinaram. Contudo, conforme Carla, a procura é baixa. Em julho, 2,5 mil doses foram liberadas para a população em geral, já que apenas 48% da população prioritária estava imunizada. Venâncio não atingiu a meta de 90% de imunização deste público.

Carla explica que o teste de gripe, apesar de parecido com o método de teste do coronavírus, só é feito quando o paciente interna no hospital com síndrome respiratória aguda, diferente do teste de Covid, que pode ser feito a qualquer momento.

Postos com sala de vacinação

  • Bairros: Estratégias de Saúde da Família (ESF) do Caic, Coronel Brito, Macedo, Santa Tecla, Tabalar, Gressler e Mariante.
  • Centro: Unidades de Saúde do bairro Gressler, Santa Tecla e Central.
  • Interior: Unidades de Saúde de Centro Linha Brasil, Vila Deodoro e Vila Santa Emília.

Diferença dos sintomas de Covid-19 e gripe

Neste fim de ano, em meio à pandemia de Covid-19 – embora com queda acentuada das curvas de mortes e infecções – crescem no Brasil os casos de gripe. As duas doenças podem confundir, dada a semelhança dos sintomas.

O conhecimento e a reação aos sintomas são necessários diante dos riscos de transmissão da Covid-19. Conforme orientações do Ministério da Saúde, uma pessoa infectada deve, além de procurar atendimento, ficar isolada de outros indivíduos e fazer quarentena durante 14 dias. O prazo pode ser menor, dependendo das orientações de cada município.
Segundo a infectologista Ana Helena Germoglio, não é possível definir se uma pessoa está com Covid-19 ou com gripe apenas com a análise do profissional, chamado no jargão técnico de diagnóstico clínico.

Para a avaliação do quadro de saúde do paciente é preciso realizar testes. No caso da Covid-19, há diferentes modalidades, como os testes de antígeno ou laboratoriais PCR. No caso da gripe, também há distintos tipos de exames. Por isso, a infectologista destaca a importância de que, diante de sintomas, as pessoas procurem assistência médica para que o profissional possa indicar os procedimentos adequados à realização do diagnóstico. (Fonte: Agência Brasil)

Gripe x Covid-19

1. Embora os sintomas sejam bastante parecidos, há especificidades entre as duas doenças. Na gripe, sintomas como febre, tosse seca, cansaço, dores no corpo, mal-estar e dor de cabeça são comuns. Coriza ou nariz entupido e dor de garganta podem aparecer, mas são menos frequentes.

2. A gripe pode evoluir para casos graves e até mesmo para a morte. Segundo material explicativo do Instituto Fernandes Figueira, da Fundação Oswaldo Cruz (IFF-Fiocruz), a hospitalização e a possibilidade de óbito estão, em geral, vinculadas aos grupos de alto risco. A Influenza pode também abrir espaço para infecções secundárias, como aquelas causadas por bactérias.

3. Na Covid-19, febre e tosse seca são sintomas comuns. Já cansaço, dores no corpo, mal-estar e dor de garganta podem surgir às vezes. A doença tem outros sintomas que, em geral, não são sentidos por quem tem gripe, como perda do olfato e paladar.

4. A Covid-19 também pode avançar para quadros mais graves, como evidencia a marca de mais de 600 mil pessoas. Pessoas nessas situações mais graves ou críticas podem ter forte falta de ar, pneumonia grave e outros problemas respiratórios que demandem suporte ventilatório ou internação em unidades de terapia intensiva.

5. “A Covid-19, principalmente agora, dá muita queixa de perda de olfato e paladar. A Influenza costuma deixar mais prostrado, acamado, dor no corpo, sensação de congestão. Quando a gente compara as duas, a influenza dá muito mais sintomas. Pra gente fechar o diagnóstico, somente com exame laboratorial”, diz Ana.

LEIA MAIS:

notícias saúde Folha do Mate

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes