Foto: Alvaro Pegoraro/Arquivo FM

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Rio Grande do Sul divulgou, na quinta-feira, 12, dados referentes à criminalidade nos 497 municípios do estado. Os números consideram os oito primeiros meses deste ano e o vice-governador, Ranolfo Vieira Júnior – que acumula a SSP -, ressaltou que o mês de agosto de 2019 foi o menos violento desde 2006 no que tange o número de homicídios. De acordo com ele, trata-se de uma importante confirmação da tendência de queda no índice de mortes violentas.

Em relação a Venâncio Aires, as estatísticas da Secretaria da Segurança Pública apontam a redução nos crimes de homicídio, furto e abigeato. As médias destes três tipos de crime são as menores dos últimos cinco anos. Por outro lado, há incremento nos casos de furto de veículo, tráfico de drogas e estelionato, que têm as maiores médias dos últimos cinco anos. No caso das ocorrências de roubo, a média é a menor desde 2015, já os crimes de roubo de veículo apresentam o maior número de casos, em média, desde 2015.


“Seguimos trabalhando em busca de reforço para o nosso efetivo, pois embora tenhamos a evolução da inteligência e da tecnologia, nada substitui o policial. Com mais gente, temos mais condições de perseguir a redução dos índices de criminalidade.”

LEANDRO ALTERMANN – Comandante do 1º e 2º Pelotões da 3ª Companhia da Brigada Militar de Venâncio Aires


ANÁLISE

Comandante do 1º e 2º Pelotões da 3ª Companhia da Brigada Militar de Venâncio Aires, o tenente Leandro Altermann fez uma análise das estatísticas nesta sexta-feira, 13, em participação no Terra em Meia Hora, programa de jornalismo da Rádio Terra 105.1 FM. Em relação aos homicídios, ele destacou que estão contabilizados os casos de feminicídio, “que são crimes passionais”. Altermann disse que a queda nos casos de furtos é surpreendente, pois a BM tem atendido muitas ocorrências. Sobre os abigeatos, a redução, segundo ele, está relacionada com a atuação da Patrulha Comunitária do Interior (PCI).

Já em referência aos crimes que apresentaram crescimento, o comandante declarou que o furto de veículos pode estar sendo cometido, em maior número, por ladrões de fora de Venâncio Aires, em especial de Santa Cruz do Sul e Lajeado. “Nestes municípios, o policiamento foi reforçado e, com isso, os criminosos tendem a atuar em locais onde o efetivo é mais reduzido”, esclareceu. Sobre a escalada dos casos de estelionato, Altermann alertou que as pessoas não podem acreditar em ganhar dinheiro fácil, pois viram presas fáceis para os golpistas. “Todos sabem que o número e o tipo de golpes crescem a cada dia. Portanto, o que orientamos é que a pessoa não se deixe ludibriar por uma falsa proposta”, argumentou.

TRÁFICO

O aumento no número das ocorrências de tráfico de drogas, conforme o comandante, “é algo que se torna positivo para a Brigada, pois estamos falando de prisões que são feitas pelos policiais”. Para o oficial, embora o índice de casos de tráfico de entorpecentes apresente elevação, é resultado de ação efetiva da Brigada Militar. “Sabemos que o tráfico está por todos os lados, mas as ocorrências que são registradas levam em conta prisões de indivíduos envolvidos com o crime ou apreensões feitas pela corporação”, reforçou.


Importante: O ano de 2019 leva em conta ocorrências registradas nos primeiros oito meses, com números absolutos divididos por oito. Nos demais anos, os totais foram divididos por 12, para que as médias sejam compatíveis de análise.


METODOLOGIA

  • Para chegar às médias mensais dos crimes, a Folha do Mate dividiu os totais absolutos pelo número de meses do ano de referência, já que os dados de 2019 estão disponíveis até o mês de agosto.
  • Pegando como exemplo o crime de homicídios, até agosto deste ano foram registrados sete casos em Venâncio Aires, uma média de 0,875 por mês. Em 2018, foram 12 crimes, média mensal de um caso. Em 2017, 2016 e 2015, na ordem, foram 15, 13 e 14 homicídios, sempre mantendo a média acima de um crime por mês.
  • A mesma metodologia foi utilizada para todos os outros cálculos e, a partir das médias obtidas, foram feitas as comparações com os anos anteriores.

O QUE A FOLHA ATESTOU 

• Os crimes de homicídio doloso, furto e abigeato têm, em 2019, até agosto, as maiores médias mensais dos últimos cinco anos.

• Os crimes de furto de veículo, estelionato e tráfico têm, em 2019, até agosto, as menores médias mensais dos últimos cinco anos.

• O crime de roubo tem, em 2019, até agosto, a menor média mensal desde 2015.

• O crime de roubo de veículo tem, em 2019, até agosto, a maior média mensal desde 2015.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome