Juliani foi morta pelo ex-namorado (Foto: Reprodução Facebook)

Faltavam dez minutos para as 23h da terça-feira, 7, quando familiares entraram na sede social da Sociedade União Imigrantes do Brasil (Suib), de Centro Linha Brasil, carregando o caixão com a assistente social Juliani Carolini Klamt, 31 anos.

Um grande número de pessoas aguardava para se despedir da jovem, que foi brutalmente assassinada horas antes, quando seguia para o trabalho. O homem apontado como autor do feminicídio é o ex-namorado Carlos Eduardo Fischer, 37 anos, que se suicidou.

Juliani viveu um relacionamento conturbado com Fischer, mas decidiu dar fim ao romance. Desde então, passou a ser ameaçada, mas não levou o fato ao conhecimento das autoridades. Ontem pela manhã, foi emboscada e morta a tiros.

O corpo será velado até as 15h, quando acontece uma missa e segue para o sepultamento, que será realizado no cemitério número Dois de Centro Linha Brasil. Fischer será sepultado às 11h, no cemitério municipal de Passo do Sobrado.

LEIA MAIS: “Me criei com ela, era como uma irmã”, diz amigo de assistente social vítima de feminicídio

1 comentário

  1. “Desde então, passou a ser ameaçada, mas não levou o fato ao conhecimento das autoridades.” Desde Quando as denuncias evitam feminicídios?? Elisa Samudio e tantas outras denunciaram e denunciam, e mesmo assim são assassinadas…

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome