Vários políticos de Venâncio Aires escaparam de um golpe, nesta terça-feira, 3. Os agentes públicos receberam, em seus telefones, mensagens de WhatsApp enviadas por uma pessoa que se identificou como sendo funcionário dos Correios, e que estaria precisando de auxílio financeiro para o conserto do veículo. Nas mensagens, o golpista alternou nomes de cidades onde estaria “empenhado”, porém manteve o discurso de que o problema com a bomba de gasolina teria ocorrido quando ele retornava do sepultamento da mãe.

Nos contatos, que contaram inclusive com mensagens de áudio, o golpista informou que estava com a mulher e a filha, e que já teriam dormido uma noite no automóvel. Ele referiu que o conserto teria um custo de R$ 378 e que devolveria o dinheiro emprestado assim que recebesse o salário. Também alegou que ofereceu o rádio do veículo a um mecânico, mas que o profissional teria avaliado em R$ 150, apenas, e que faltariam R$ 228 para completar o pagamento, para que pudesse seguir a viagem à Capital do Chimarrão.

O vice-prefeito Celso Krämer (PTB) foi um dos que recebeu as mensagens. Foi perguntado se havia a possibilidade de um veículo da Prefeitura de Venâncio Aires ser deslocado até Erechim, região Sul do estado, para ‘resgatar’ a filha e a esposa do suposto funcionário dos Correios. O homem ficaria na cidade para resolver o problema com a bomba de gasolina. “Logo notei que era golpe, ele disse que pagaria no dia 18, uma sexta-feira, e 18 cai numa quarta. Só troquei uma ideia com outras pessoas e nem respondi”, comenta.

O que também chamou a atenção das pessoas contatadas pelo golpista foi o fato de ele ter enviado imagens de cartões de banco com contas em Várzea Paulista (SP) e Serra Talhada (PE) quando lhe foi pedida uma conta para depósito.

Desconfiança 

Adelânio Ruppenthal, vereador do PSB, também foi alvo do estelionatário. Ele diz que estranhou as mensagens quando o golpista escreveu que teria tentado um empréstimo no Banco do Brasil para as despesas com o veículo. “Como é que uma pessoa de outra cidade vai chegar em uma agência e sair com um empréstimo?”, questiona. Ruppenthal diz que não é a primeira vez que recebe mensagens a respeito de pessoas pedindo auxílio, e alerta para que os cidadãos não tomem medidas sem que haja a confirmação do fato. “Não dá para sair ajudando sem buscar informações concretas. Está cheio de gente ruim por aí”, afirma.

Mensagens

A reportagem da Folha do Mate teve acesso às mensagens enviadas pelo golpista ao vice-prefeito Celso Krämer. O texto está sendo reproduzido da forma como foi escrito, inclusive mantidos os erros. Confira:

“Boa tarde celso”.
“E p José Pereira da Vila gressler o baxinho do correio da rua Tiradentes”.
“Desculpa perturbar tu e q tô com um problemao”.
“Vim até ponta grossa que minha mãe faleceu tô voltando pra casa mais meu carro quebrou aqui em Erechim ontem a tarde tô com minha mulher e filha aqui será que tu não consegui um carro da prefeitura pra busca elas por favor porque tô afastado e só recebo sexta feira dia 6 o único dinheiro q tenho aqui e 35 reais mais quebrou a bomba de gasolina a mais barata q achei e 378 reais mais não tenho é não tô conseguindo emprestado por favor se puder leva elas fico aqui até recebe e pode ajeita o carro não sei mais o q faço dormimos no carro essa noite”.
“Tô aperriado aqui sem sabe o que faze”.
“Nunca pensei passa isso Td dando errado fui no banco do Brasil tenta empresta o dinheiro da peça assim a gente conseguiria ir pra casa mais não consegui já chorei tanto aqui”.
“Se tu puder ajudar a gente”.
“Kramer”.
“Ofereci o rádio do carro pra o rapaz ajeita o carro mais ele só pega no valor de 150 reais fica faltando 228 será que não pode me emprestar esses 228 só até sexta feira devolvo”.
“Eu paguei quase 700 no rádio mais prefiro da do que fica aqui de novo”.
“Me desculpe por pedi isso mais não sei o q faço”.

Ocorrência

  • Chefe de Gabinete do prefeito Giovane Wickert (PSB), Marcelo Haas foi quem fez o registro da ocorrência na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). Ele é cedido dos Correios para a Prefeitura e chegou a trocar mensagens com o golpista depois de ser alertado pelos vereadores Adelânio Ruppenthal (PSB) e Ciro Fernandes (PSC).
  • Haas armou um ‘pega ratão’ para o estelionatário e confirmou que se tratava de um golpe, pois o homem encerrou o contato. “Perguntei a ele em qual das agências dos Correios ele trabalhava, dizendo que tínhamos várias na Tiradentes. Ele afirmou que era na de número 556, aí eu despistei dizendo que nesta não tinha carteiros. Depois disso, ele não escreveu mais”, relata.
  • O chefe de Gabinete acredita que o estelionatário pode ter rackeado os contatos do telefone de algum venâncio-airense e, com isso, teve acesso à lista telefônica. “Não tenho como confirmar isso, mas é uma possibilidade. A investigação será feita pela Polícia Civil. O mais importante é que ninguém caiu no golpe”, salienta.

LEIA MAIS: Preso bandido que pode ter atacado agências na região

1 comentário

  1. Difícil roubar políticos…a maioria são peritos nisso kkkk..só tenho uma dúvida, se roubar um político é crime ou legítima defesa?

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome