Quatro suspeitos foram presos pela Brigada Militar na noite desta segunda-feira (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

Os dois homens e as duas mulheres presos pela Brigada Militar na madrugada desta segunda-feira, 12, suspeitos de envolvimento no assalto e no resgate da quadrilha responsável pelo ataque ao banco Sicredi, de Vale Verde, na quinta-feira, 8, responderão em liberdade.

Segundo o delegado Felipe Staub Cano, foi comprovado que eles estavam na região para resgatar pessoas envolvidas no assalto, mas este crime não é suficiente para autuá-los em flagrante. “É um crime de favorecimento e eles responderão por isso”, argumentou o titular da Delegacia de Polícia.

As quatro pessoas (dois homens, um de 39 e outro de 42 anos, e duas mulheres, de 32 e 47 anos) foram presos na localidade de Linha Itaipava das Flores, quase divisa com General Câmara, no interior de Venâncio. Eles ocupavam dois veículos e com eles foram apreendidos R$ 4,7 mil e mantimentos, como lanche, água e salgadinhos. Confessaram que vieram resgatar pessoas envolvidas no assalto, mas segundo Cano, negaram qualquer envolvimento com o ataque ao Sicredi.

Ainda conforme o delegado, a mulher de 32 anos é companheira de um dos envolvidos no assalto. “Ela nos deu informações, nomes dos envolvidos e revelou que foi ela que recebeu uma ligação do seu companheiro, pedindo que fosse resgatá-lo”, explicou.

A mulher mais velha, que é técnica em enfermagem, disse em depoimento que no domingo foi procurada por um paciente seu, que tem problemas de saúde, e depois que ela entrou no veículo, foi informada que viriam resgatar membros da quadrilha. O teor do depoimento dos dois homens não foi revelado. “Não há como comprovar a participação deles no assalto”, resumiu Cano.

ENVOLVIMENTO

Para a Brigada Militar, pelo menos um dos presos participou diretamente do assalto. Com ele foram apreendidos os R$ 4,7 mil, em cédulas sequências. “Isso indica a sua participação no assalto a agência”, diz uma nota do Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO)”.

A nota também refere que os presos admitiram participação no assalto a agência do Sicredi, de Monte Alverne, e salienta que com uma das mulheres foi apreendido material de primeiros socorros. O comandante do 23ª Batalhão de Polícia Militar (23º BPM), tenente-coronel Giovani Paim Moresco, que comanda a operação, disse que o cerco está mantido e a BM segue em busca dos envolvidos no assalto.

LEIA MAIS: Bandidos assaltam banco em Monte Alverne e fogem pelo interior de Venâncio

BUSCAS

O cerco à quadrilha começou na quinta-feira à tarde, 8, logo após o assalto. O bando roubou duas sacolas com dinheiro, fugiu em um Honda City e capotou com o veículo em uma estrada de chão, na localidade de Linha Boqueirão, que leva ao município de General Câmara. A fuga seguiu em um caminhão, que foi interceptado por integrantes do Pelotão de Operações Especiais (POE), de Santa Cruz do Sul.

Houve troca de tiros e os quadrilheiros fugiram para a mata. Antes da noite, helicópteros sobrevoaram a área e uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi para o local auxiliar nas buscas, que foram retomadas na manhã da sexta-feira. Até aquele momento haviam sido apreendidas uma espingarda calibre 12, uma pistola, munição, dois potes com miguelitos, dois coletes à prova de balas, uma touca ninja e roupas camufladas que estavam dentro do Honda.

CERCO MANTIDO

O cerco foi mantido e todos os veículos que cruzavam pelas barreiras eram revistadas e os ocupantes, identificados. Na balsa de General Câmara um homem foi preso em flagrante e no caminhão que dirigia, apreendidas cerca de 12 mil garrafas de uísque contrabandeadas. Um foragido do sistema prisional também foi recapturado durante o cerco.

No domingo à noite, a BM recebeu a informação de que havia suspeitos em uma fazenda, no interior de Vale Verde. As ações se concentraram naquela região e durante a madrugada as duas mulheres e os dois homens foram presos, quando chegavam na Vila Mariante. Eles ocupavam um JAC preto, com placas de Lajeado, e um Gol vermelho, de Estrela.  Hoje à tarde, após os depoimentos, todos foram liberados. Agência do Sicredi, que estava fechada desde o dia do assalto, reabre nesta terça-feira.

LEIA MAIS SOBRE O CASO:

Criminosos assaltam Sicredi de Vale Verde e fazem cordão humano

80 policiais participam do cerco a assaltantes da agência Sicredi de Vale Verde

Brigada mantém o cerco à quadrilha que atacou o Sicredi de Vale Verde

Depois de assalto, Sicredi de Vale Verde está fechado por tempo indeterminado

Brigada Militar prende quatro suspeitos de participar do assalto ao Sicredi de Vale Verde

Sicredi de Vale Verde reabre nesta terça-feira

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome