Foto: Edemar Etges / Folha do MateSchwengber: “O mundo um dia ainda vai tomar chimarrão”
Schwengber: “O mundo um dia ainda vai tomar chimarrão”

No momento em que Venâncio Aires festeja a sua bebida típica, também abre espaço para debater sobre a matéria-prima do chimarrão – a erva-mate. A valorização da cultura, a busca por novos mercados, a necessidade de incrementar as pesquisas para outros subprodutos, nortearam os debates do I Congresso Brasileiro da Erva-Mate, realizado ontem à tarde.

 

A rainha da 13ª Festa Nacional do Chimarrão (Fenachim) Luana Schonarth, salientou a importância de renovar as práticas que envolvem toda a cadeia produtiva. O presidente da Câmara de Vereadores José Cândido Faleiro Neto (PT), frisou que o chimarrão interage com as pessoas e proporciona um momento especial onde elas podem ensinar e aprender.

O secretário municipal de Agricultura Fernando Ribeiro Heissler, destacou que a erva-mate em Venâncio Aires atualmente ocupa uma área três vezes menor do que há alguns anos. Heissler lançou oficialmente a realização do segundo Congresso Brasileiro de Erva-Mate, que deverá ocorrer no dia 24 de abril de 2015, em Venâncio Aires, no dia dedicado ao chimarrão.

O diretor executivo da Escola do Chimarrão Pedro José Schwengber, colocou que em suas andanças pelo Estado e pelo Brasil, percebeu a necessidade de trazer conhecimentos sobre a erva-mate e as pessoas usufruírem dos seus benefícios.

O diretor do Fundo Estadual do Mate (FundoMate) Valdir Zonin, falou da organização do setor nos dois últimos anos, com a criação do Ibramate em 2013, do FundoMate em 2012 e ainda em 2013, da Câmara Estadual da Erva-Mate. Destacou que a criação destes instrumentos não é o suficiente e a consolidação destas ações será efetivada a partir deste ano.

O presidente do Sindimate/RS e empresário Gilberto Heck, apresentou números do setor no Estado, os quais, segundo ele, mostram a importância do setor ervateiro como um todo.

 

O diretor executivo do Ibramate Roberto Ferron, frisou que a união dos esforços envolvendo os produtores, indústrias e com o apoio do Governo do Estado, fez com que fosse criado ó órgão. Defendeu as pesquisas e os trabalhos de divulgação das propriedades nutracêuticas da erva-mate e que elas serão o carro-chefe do Ibramate para difundir a cadeia produtiva.