Reunião da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Mulheres ocorreu na noite desta quarta-feira, 10, no Plenarinho da Câmara de Vereadores (Foto: Daiana Nervo)

Em reunião da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Mulheres, na noite desta quarta-feira, 10, no Plenarinho da Câmara de Vereadores, representantes dos sindicatos dos Metalúrgicos, Calçadistas, Vestuário e Alimentação confirmaram seu apoio na defesa das mulheres vítimas de violência em Venâncio Aires. Diante da constatação de que muitas trabalhadoras não seguiam com a denúncia de seus agressores para não faltarem ao trabalho ou perderem direitos a ranchos e adicionais, os representantes de classe reconheceram o problema e colocaram-se à disposição para buscar uma solução junto às empresas.

De acordo com a rede de proteção às mulheres, são comuns os relatos de vítimas que não denunciam as agressões sofridas para não ausentarem-se em horário de trabalho. “As empresas costumam premiar trabalhadoras sem nenhuma falta ou atestado médico, desencorajando muitas delas de buscarem ajuda na rede de segurança, saúde e assistência social”, constatou a psicóloga atendente do Posto de Atendimento à Mulher (PAM), Márcia Preuss.

O problema foi confirmado pelas sindicalistas presentes ao encontro, que acrescentaram que são inúmeros casos que ficam no anonimato. Para encorajar mulheres em busca de ajuda, a proponente da frente parlamentar, vereadora e assistente social, Ana Cláudia do Amaral Teixeira, solicitou apoio e intercedência dos sindicatos junto à classe empresarial. “As mulheres sofrem dupla violência. Muitas vezes em casa e depois em seus locais de trabalho, quando são punidas por buscarem ajuda, por levarem um filho ao médico, entre outras tarefas comuns às mulheres”, ressaltou a vereadora.

CORRESPONDÊNCIA
Uma correspondência assinada pelas entidades sindicais e de defesa das mulheres será encaminhada às empresas em busca de parceiros para a causa da proteção às mulheres vítimas de violência. As vereadoras integrantes da frente parlamentar estudam ainda a criação de um selo ‘Empresa Amiga da Mulher’, para certificar e destacar as empresas que assumem o compromisso de apoio.

Estatísticas
A secretária de Planejamento e Urbanismo, Jalila Stahl Böhm Heinemann, presidente do Conselho Municipal da Mulher, acrescentou que, paralelamente, o conselho trabalha para reunir estatísticas de violência contra as mulheres. Registros já estão sendo compilados pelo Hospital São Sebastião Mártir (HSSM), Ministério Público, Polícia Civil e Brigada Militar, entre outros órgãos de proteção. Os números por faixa etária, classe social e bairro contribuirão para uma nova etapa, que prevê a integração das redes de atendimento à mulher.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome