Foto: Divulgação / Karine RoehrsPatrícia abusa da criatividade para proporciona uma Páscoa deleciosa para a filha érica
Patrícia abusa da criatividade para proporciona uma Páscoa deleciosa para a filha érica

Chocolate é uma das primeiras coisas que pensamos quando o assunto é Páscoa. A variedade nas prateleiras dos supermercados e as embalagens coloridas e vibrantes despertam olhares e a água na boca, principalmente, das crianças, que aguardam a chegada do Coelhinho da Páscoa.

No entanto, há uma parcela da população que possui restrições alimentícias e por isso, não podem consumir o tradicional chocolate, feito com leite. Os problemas mais comuns são a intolerância à lactose, ao glúten, diabetes e também quem não ingere produtos de origem animal, como os vegans. No entanto, nos últimos anos, fabricantes vem lançado novos produtos e garantindo que essas pessoas tenham uma Páscoa deliciosa.

A pequena érica Roehrs Ebert, de 2 anos e 2 meses é um exemplo. Intolerante à lactose desde os 10 meses de idade , a mãe Patrícia Roehrs, 30 anos, garante que a alimentação da menina pe normal. “Sempre encontro a opção sem lactose. Apenas tenho dificuldade em sair com ela para almoçar ou jantar, pois na maioria dos preparos é acrescentado derivado de leite”, explica.

O coelhinho contou que vai deixar pegadas pela casa e um ninho bem bonito contendo ovinhos decorados, um coelhinho de chocolate zero lactose, e frutas

Patrícia Roehrs, mãe de érica

E você deve estar se perguntando, e a Páscoa? Como continuar mantendo vive a tradição e os costumes, tendo o chocolate como um dos protagonistas? Embora ainda não haja tantas opções no mercado e o custo seja um pouco mais elevado, Patrícia abusa da criatividade para encantar a filha. “Quando ela tinha 1 ano o foco foram os coelhinhos, mas como não podia faltar o tradicional ninho, enfeitemos com frutas, papinhas e um chocolate zero lactose e açúcar”, relembra.

Para este domingo de Páscoa, relata a mãe, a érica está na expectativa do coelhinho e dos seus ovinhos. “O coelhinho contou que vai deixar pegadas pela casa e um ninho bem bonito contendo ovinhos decorados, um coelhinho de chocolate zero lactose, e frutas”, adianta a mamãe.

Sobre a diversidade de produtos específicos, Patrícia conta que vem aumentando as opções. No ano passado encontrou ovos e coelhinho de chocolate zero lactose, já neste ano, ela já encontrou tabeletes, ovos pequenos e grandes e coelhinhos de chocolate zero lactose. “Agora que sabemos onde procurar, não achamos isto mais um problema.”

No entanto, o preço é mais elevado, garante. “Fazendo uma comparação, um produto que esteja comprovado na embalagem que é zero lactose, custa o dobro do comum.”Apesar de preservar com a filha a tradicional de presentear com chocolates, Patrícia garante que mantém vivo o sentido real da Páscoa. “No dia a dia, estou sempre refletindo sobre minhas atitudes, valores e ética. Mas na páscoa, sempre procuro fazer algo agradável, focando na renovação espiritual.Foco muito na educação dela, como o auto desenvolvimento, respeito, partilha, bondade e cuidados com as pessoas e animais”, frisa.