Quando Jussara Inês Herrmann Ferreira, 40 anos, está com sua turma de alunos, alimenta o encanto e imaginação para que eles vivam a infância em sua essência. “É aprendizado o tempo todo. Para mim e para eles”, define a professora da turma Pré A, da Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Gente Miúda, no bairro Macedo. 

Foto: Juliana Bencke / Folha do MateJussara com a turma de pré-escola da Emei Gente Miúda: incentivo à imaginação e ao encantamento da infância
Jussara com a turma de pré-escola da Emei Gente Miúda: incentivo à imaginação e ao encantamento da infância

Finalista do prêmio ‘Adiante, professor’, promovido pela Folha do Mate, na categoria Educação Infantil, Jussara acredita que pode fazer a diferença na educação. “Plantamos pequenas sementes que, se regadas de carinho e compreensão, resultarão em bons frutos. Temos uma missão muito grande na educação infantil.”

Essa missão, para Jussara, envolve desde o acolhimento afetuoso das crianças até o estímulo ao desenvolvimento do respeito, da autonomia e da autoestima. Tudo isso, dentro do encantamento, da magia e da imaginação das crianças. “Trabalhamos com números e a maioria já está escrevendo seu nome, mas nada foi imposto. Tudo vai sendo construído pelas brincadeiras, pois é fundamental que eles vivam essa etapa da vida”, pontua.

Quando a criança é desafiada a fazer algo novo e me diz ‘Profe, eu não sei fazer’, eu a estimulo a dizer ‘Profe, eu ainda não sei fazer, mas eu vou tentar’. Assim, penso que aos poucos, ela vai confiando na sua capacidade.”

Neste ano, o projeto ‘Contos, cantos e encantos’, realizado com a turma de pré-escola, propôs o resgate de clássicos infantis, como Branca de Neve e Chapeuzinho Vermelho, além de trabalhos sobre lendas e cultura indígena. As atividades incluíram visita à Escola do Chimarrão e preparo de bolo de erva-mate. Agora, os alunos estão na expectativa pela chegada da boneca Nina – que recebeu uma ‘pílula falante’, como Emília, a ‘boneca-gente’ do Sítio do Picapau Amarelo, de Monteiro Lobato.

Foto: Juliana Bencke / Folha do MateJussara:
Jussara: “A educação infantil é a fase fundamental para construção da identidade.”

“Procuro promover diferentes situações, envolver as crianças na fantasia, cantar, dançar, agradecer e fazer com que os momentos vividos dentro da escola, com seus pares, sejam significativos e recheados de aprendizagens”, destaca Jussara, que também atua na Emei Aloysius Paulino Algayer, do bairro Coronel Brito. A diretora da Emei Gente Miúda, Carla Isabel Herrmann, confirma o empenho da professora. “Ela tem amor pelo que faz. Está sempre preocupada em fazer coisas diferentes, tem uma grande sintonia com as crianças”, destaca.

Perfil

Formada pela Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Jussara Inês Herrmann Ferreira atua há 14 anos na educação infantil e é professora do Município desde 2011. O sonho de lecionar surgiu na infância, quando brincava de ‘escolinha’ com os irmãos. “Fabricávamos nosso giz com aipim, que era cortado em quadradinhos e secado ao sol.” Apesar da vontade de estudar, a vida tomou rumo diferente: casou-se aos 16 anos, teve um filho e trabalhou por quase oito anos em fábrica de calçados. Apesar das dificuldades, movida pelo sonho de criança e com o apoio da família, cursou Pedagogia e tornou-se professora.

 

Série

A Folha do Mate inicia, hoje, a série de matérias sobre os nove finalistas do prêmio ‘Adiante, professor’. Na quinta-feira, será divulgada trajetória da professora Moira Poema Closs Gaspar, da categoria Educação infantil. A premiação, com revelação do professor destaque, ocorre dia 31, às 14h, na Feira do Livro de Venâncio Aires.