Venâncio é o 2º em geração de empregos no RS em abril

-

O relatório do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, mostra que Venâncio Aires foi o segundo município gaúcho que mais empregos gerou no mês de abril. Porto Alegre gerou 3.337 empregos e Venâncio Aires vem depois, com saldo de 1.302 empregos no mês. No entanto, um acompanhamento do desempenho do município ao longo dos primeiro quadrimestre, mostra que o nível de empregos nos primeiros meses do ano não acompanhou o histórico do período em anos anteriores. A explicação é o atraso no processamento da safra de tabaco nas empresas locais, que são as grandes responsáveis pelo fato do município estar apenas atrás de Porto Alegre na geração de empregos em abril. No total de 1.302 vagas geradas, 1.266 são da indústria da transformação, onde se destaca a indústria do tabaco.

Nos anos anteriores o saldo foi menor. Em 2011 abril teve saldo de 655 empregos, em 2010, foram 550 empregos, em 2009 foram 1.197 empregos e em 2008 foram 282 empregos.

No ano, Venâncio registra um saldo de 4.031 empregos no primeiro quadrimestre o menor desempenho dos últimos cinco anos para o período. Em 2011 foram 4.671, em 2010 foram 4.806, em 2009 foram 4.977 e em 2008 foram 6.036 empregos no período.

Na região, os municípios polos tiveram desempenho positivo também, mas menor do que o de Venâncio. Santa Cruz teve saldo de 992 empregos em abril, mas no ano já soma 6.178 vagas. Lajeado teve saldo de 115 empregos em abril e no ano soma 574 empregos.

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) registrou em abril a criação de 216.974 empregos formais no país, o que corresponde ao crescimento de 0,57% em relação ao estoque do mês anterior. O saldo é o maior de 2012 e demonstra a manutenção da trajetória de expansão dos postos de trabalho formais. Pela primeira vez no ano foi verificado crescimento em todos os oito setores da economia.

RS gerou 14 mil empregos no mês

No Rio Grande do Sul, em abril de 2012, segundo os dados do Caged, foram gerados 14.163 empregos celetistas, equivalente a uma expansão de 0,55% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. Tal expansão deveu-se principalmente ao crescimento do emprego nos setores de Serviços (+5.980 postos), da Indústria de Transformação (+4.006 postos), do Comércio (+3.085 postos) e da Construção Civil (+2.141postos), cujos saldos superaram a queda acentuada da Agropecuária (-1.233 postos).

Na série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo, nos quatro primeiros meses do corrente ano houve acréscimo de 57.642 postos (+2,29%).

Ainda na série com ajustes, nos últimos 12 meses verificou-se crescimento de 4,11% no nível de emprego ou +101.703 postos de trabalho.

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes