Venâncio Aires registrou, somente no mês de agosto, seis suspeitas de leptospirose. O aparecimento da doença é comum nesta época do ano, onde as chuvas se intensificam. A maioria dos casos apresentados são em pessoas do sexo masculino, moradoras do interior do município. Somente em 2014, foram registrados 25 óbitos da doença no Rio Grande do Sul, segundo Ministério da Saúde.

Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MateLeptospirose é comum em época grande volume de chuvas e no verão
Leptospirose é comum em época grande volume de chuvas e no verão

A leptospirose é a doença mais comum que ocorre devido às cheias. Uma infecção ocorre após a exposição direta ou indireta à urina de animais infectados, como ratos. A bactéria penetra no corpo humano por pequenos ferimentos na pele ou pelo contato com a água contaminada por longo período.

Os sintomas, segundo a técnica em enfermagem da Vigilância Sanitária de Venâncio, Cristiani Ferreira, são muito semelhantes aos da gripe como febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, principalmente, nas panturrilhas. Pode ocorrer também vômito, diarreia e tosse. Sobre o cuidado, afirma: “A leptospirose precisa ser cuidada, principalmente, em relação aos ratos. Por isso é necessário andar bem calçado, procurar cuidar os terrenos baldios e cuidar com a proliferação de ratos.”

Não existe uma vacina que previna a doença, mas o tratamento é baseado no uso de medicamentos e outras medidas de suporte. Cristiani orienta que sempre que os sintomas forem percebidos, é necessário procurar um médico. Os casos leves podem ser tratados em ambulatório, já os graves, precisam ser internados.

Dicas-é recomendado que seja consumida apenas água potável, filtrada, fervida ou clorada para o consumo humano. -Não se deve reaproveitar alimentos que entraram em contato com a enchente.