Maikel Purper orientou sobre o controle e cura da mamite (Foto: Edemar Etges/Folha do Mate)

Com o tema ´Mamite, como controlar – parte 2`,durante o 23º Encontro do Grupo do Leite de Venâncio Aires, realizado na quinta-feira, 30 de maio, o médico veterinario Maikel Purper, da Launer Química Indústria e Comércio Ltda., de Estrela, descreveu os principais sintomas desta doença, como ela se manifesta e os cuidados que o produtor precisa ter e métodos que precisa adotar para o seu controle e a sua cura. Purper explicou que as mamites são causadas por agentes infecciosos que muitas vezes, estão presentes no ambiente, algumas bactérias que são passadas pela ´teteira` de um animal para o outro durante a ordenha, que acabam contaminando as glândulas, causando a mastite, ou seja, uma infecção em seu interior.

Geralmente, estas contaminações acabam ocorrendo por diversos fatores omo o campo que é mal manejado, tem muito barro ou a própria sala de espera antes da ordenha não tem as condições de infraestrutura necessárias. Por exemplo, não têm concreto; a limpeza dos tetos antes da ordenha acaba sendo ineficiente ou muitas vezes, não é efetuada; outras vezes, o estresse do animal acaba atingindo a sua imunidade e até a mesmo a alimentação inadequada ou até mesmo insuficiente, são fatores que auxiliam na ocorrência das mamites

CONTROLE

Para evitar a incidência e efetuar o controle e a cura após a infestação, Purper colocou que o ideal é o produtor fazer sempre antes da ordenha, a limpeza dos tetos com produtos específicos, chamados de pré diping; entre as ordenhas de uma vaca para outra, se puder, deve fazer a desinfecção das teteiras, pois existem produtos específicos para isso; evitar, também, o contágio dos demais animais com esta mastite; manter o campo limpo e sem muito barro, o que em algumas épocas do ano é praticamente impossível; fazer a proteção dos tetos após a ordenha com algum produto específico; oferecer uma alimentação de qualidade às vacas; não manter um plantel leiteiro muito velho; não emendar a lactação e obedecer um certo período para o que o animal possa descansar; ao fazer o teste da caneca com fundo escuro e se perceber algum grânulo, fazer logo o tratamento e ter uma certa atenção com esta vaca. “Quando a vaca estar infectada, o procedimento correto é chamar um médico veterinario e, se for possível, identificar o agente causador e fazer o tratamento o mais cedo possível e evitar passar a contaminação deste animal aos demais com a teteira com a qual é tirado o leite”, orientou.

“A ordenha mal feita, seja manual ou mecânica, e a falta de higiene podem causar a doença”.

MAIKEL PURPER

Médico veterinário

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome