(Nem tão) Bravo, maestro

O prezado leitor já deve saber, mas vamos lá: um cara chamado Dante Mantovani, que é maestro e tem um canal no YouTube, foi nomeado nesta semana como presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Assim que saiu sua nomeação, o referido sujeito virou notícia por algumas opiniões, no mínimo, peculiares. Como essa: “o rock ativa a droga que ativa o sexo que ativa a indústria do aborto. A indústria do aborto, por sua vez, alimenta uma coisa muito mais pesada, que é o satanismo”. A Funarte que ele comandará é o órgão federal responsável por políticas públicas de estímulo à atividade artística brasileira. Ou seja, já dá pra imaginar o que (não) vai acontecer.

De volta para o passado

Como me senti em absoluto incapaz intelectualmente de decifrar o conceito sobre indústria do aborto, me ative a ficar pasmo com a forma pejorativa com que, em seu pensamento, o sexo foi citado. Afinal, o eminente youtuber o encara como mera parte de um mecanismo que culmina no culto ao Satã, o diabo, o coisa-ruim, aquele mesmo. No mínimo, a nobre autoridade está desatualizada. OK: há uns vinte e tantos anos era praxe e podia até ter algum cabimento atrelar o rock às drogas e ao sexo, esta manifestação explícita do capiroto viva em cada um de nós. Mas, com todo o respeito aos envolvidos, desde o surgimento de artifícios como a banheira do Gugu e os bailes funks, o estilo dos camisetas pretas foi categoricamente deixado para trás.

Oi?

Mais de trinta anos após o Parental Advisory, selo colocado em álbuns que continham palavras inapropriadas em suas músicas, é preciso exclamar: é sério que ainda há tabus sobre a atividade sexual das pessoas? Justo vindo de alguém nomeado para um cargo em Brasília, lugar conhecido – e peço mil perdões pela expressão – por ser a sede de um puta puteiro como os poderes legalmente constituídos? Tal pensamento combinaria mais com Sebastianfield, onde já cansamos de ver figuras cativas nos bancos da frente de missas ou cultos, mas que vivem à espreita por algum novo governo, cheio de tetas gordas, em que mamarão até o refluxo permitir. Não adianta: quanto mais sonhamos com carros voadores, mais brontossauros nos aparecem.

Três acordes

# Além de números como os estrelados pelo menino Jessel e o Wachholz que canta James Brown, a festa da Orquestra terá, após a apresentação da mesma, show com a Celebration Band. O local é a Sociedade de Leituras. A programação começa às 21h30min, com ingressos na hora a 30 dinheiros.

# Solidariedade ao amigo músico Luiz Ruschel, que teve praticamente todo seu equipamento musical furtado de sua residência. Desconfie se souber de alguém que comprou um instrumento como guitarra ou gaita de boca por preço de banana.

# Colegas músicos ou não do Eric Clapton local se mobilizam: lançaram ação entre amigos para auxiliar Ruschel a readquirir sua parafernália. Creio que terei mais detalhes a respeito até a próxima edição.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome