Corrida majoritária

Já dá quase para apostar que não teremos quatro candidaturas à majoritária no ano que vem – número registrado em 2016. São fortes os indícios de que Giovane Wickert (PSB) e Jarbas da Rosa (PDT) vão novamente disputar os votos dos venâncio-airenses, com o PT – provavelmente trazendo Cesar Schumacher, mais uma vez – correndo por fora. A não ser que a candidatura de Luiz Fernando Staub, o Ratinho (Progressistas) se confirme, ou o MDB resolva não coligar e arrisque um nome próprio ao Executivo. Tempo vai passando e, o cenário, afunilando.

REPÚDIO DO CIDADANIA

O Cidadania (ex-PPS), presidido na Capital Nacional do Chimarrão por Acemar da Silva, o Zequinha, foi o único partido ‘alheio’ à eleição para a Mesa Diretora da Câmara a se posicionar a respeito dos fatos ocorridos no Legislativo. Em nota de repúdio distribuída à imprensa, a sigla diz que o episódio se configura como “antidemocrático e ilegal”, em referência à decisão do presidente Eduardo Kappel (PL) de tirar a votação da Ordem do Dia, na última sessão ordinária de 2019, em 18 de dezembro. Para constar: Zequinha já declarou que o Cidadania irá apoiar o pré-candidato do PDT à Prefeitura, Jarbas da Rosa, em 2020.

RAPIDINHAS

• O presidente da Câmara, Eduardo Kappel (PL), declarou nesta sexta-feira, 27, que a sessão extraordinária, convocada para segunda-feira, 30, está mantida. Ele disse que há projetos do Executivo a serem apreciados. Sobre realizar a eleição para a Mesa Diretora, afirmou que “a princípio sim, vai sair”. Em relação às possíveis ausências dos oito vereadores – integrantes e apoiadores – da chapa de Helena da Rosa (MDB), foi enfático: “Problema é deles”.

• Elstor Hackenhaar, que até poucos dias ocupava cargo em comissão (CC) na Prefeitura, está de saída do MDB, partido pelo qual se elegeu primeiro suplente para a Câmara de Vereadores em 2016. O caminho pode ser PTB ou PSB, e o ‘assédio’ já começou.

• Também podem sair do MDB Nilson Lehmen e Joice Battisti Gassen, ex-secretários de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo e de Educação, respectivamente, que perderam seus cargos pela desavença gerada entre governo e oposição na eleição para a Mesa Diretora da Câmara. As apostas são de que Lehmen não tem convicção de que a medida é a certa a tomar, mas Joice estaria agilizando a saída do partido.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome