Sessão quente em Vila Arlindo

• A sessão interiorizada da Câmara de Vereadores em Vila Arlindo, realizada nesta segunda-feira, 5, além de oportunizar aos moradores do 7º Distrito a apresentação de demandas, foi pano de fundo para uma denúncia e também para troca de farpas. Sobre desejos da comunidade, as prioridades são melhores estradas e mais dias de recolhimento de lixo – atualmente o serviço é prestado apenas uma vez por mês -, além de alguns serviços pontuais relacionados ao posto de saúde, com destaque para a necessidade de um dentista, e a instalação de câmeras de videomonitoramento.

• Em relação à denúncia, o vereador Nelsoir Battisti (PSD) apresentou argumentos sobre máquina da Prefeitura que teria prestado serviços sem autorização do Município em uma propriedade de Linha Bem Feita, no dia 19 de junho. O que mais chama atenção, segundo o relato do parlamentar, é que a propriedade atendida é a mesma onde, no dia 19 de março, a Polícia flagrou um caminhão com carga de fumo roubada e prendeu três pessoas. Presente à sessão, o prefeito Giovane Wickert (PSB) disse que uma sindicância interna está sendo realizada para apurar as responsabilidades. “Estamos tomando as mesmas providências que o ex-prefeito Airton Artus, do PDT, tomou em relação a denúncias de falsificação de assinaturas em atestados médicos e que envolviam o ex-vereador Jarbas da Rosa, também do PDT”, contra-atacou o prefeito.

• Por fim, o vereador Tiago Quintana (PDT) subiu o tom e chamou Wickert de mentiroso. “Se mentir fosse crime, tu já estaria preso”, disparou, argumentando que “já se passaram dois anos e meio do atual governo e só o que fazem é falar da Administração anterior”. Quintana afirmou que o prefeito mentiu sobre possível perda do posto de saúde de Vila Arlindo, a respeito do déficit de R$ 40 milhões e também em relação a suposta falta de recursos da Prefeitura. “Em relação ao déficit, os relatórios do Controle Interno te desmentem. Sobre o posto de saúde, tu poderia dizer que terminou uma obra iniciada na gestão anterior, mas prefere mentir para se promover. E, se realmente estivesse faltando dinheiro, o Município não teria contratado uma consultoria de R$ 400 mil sem licitação”, declarou. O chefe do Executivo rebateu dizendo que “o vereador Tiago foi leviano, pois durante o meu pronunciamento não toquei em valor de déficit nem em posto de saúde” e ainda completou: “É bem coisa do tipo dele. Foi embora antes do fim da sessão. Todos sabem quem é o verdadeiro mentiroso”.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome