Toque de recolher

Na tarde de ontem, em comunicado por meio de mídias sociais, o prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert, anunciou ajustes no decreto de calamidade pública, que havia sido levado ao conhecimento da população na sexta-feira, 20, e passou a valer nesta segunda-feira, 23. O que mais chama a atenção é que, a partir de agora, a Capital Nacional do Chimarrão tem um toque de recolher. Depois das 21h, quem estiver pelas ruas, em especial fazendo parte de aglomerações, vai precisar de um bom ‘álibi’, pois a Brigada Militar estará circulando pela cidade para garantir a dispersão. Wickert deixou claro que a medida foi tomada porque no fim de semana, mesmo com os incessantes pedidos de isolamento social, havia muita gente circulando nas ruas. “Cada um precisa fazer a sua parte na prevenção ao coronavírus”, reforçou.

TENSÃO NA CÂMARA

A Câmara estava, mais uma vez, sob forte tensão. Desta vez, no entanto, não era por conta de votação ou assunto polêmico, como das outras vezes. O motivo do ‘clima pesado’, agora, se dava em virtude da cobrança dos servidores no sentido de que a presidente da Mesa Diretora, Helena da Rosa (MDB), dispensasse da necessidade de permanecer no prédio ou, pelo menos, autorizasse o trabalho de casa. Há muita gente com medo de contágio do coronavírus, mas, até ontem, a determinação era de turno único, das 7h30min às 11h30min. Recebi algumas ligações e mensagens de pessoas defendendo a dispensa. “Não é questão de ir só de manhã. Se estivermos lá, estaremos expostos”, comentou uma fonte. “A presidente fez postagem no Facebook pedindo ao governador Eduardo Leite para que libere os diretores de escolas, que ainda estão trabalhando. Mas não quer liberar os funcionários da Câmara”, disse outra. Perto das 19h chegou a informação de que Helena suspendeu as atividades do Legislativo por 15 dias.

RAPIDINHAS

• Em função da pandemia do coronavírus, a Folha do Mate encaminhou alguns ajustes em suas edições. A partir de hoje, circularemos com três jornais na semana, nas terças e quintas-feiras e sábados. Dessa forma, as colunas também estarão disponíveis no site da Folha do Mate apenas nestes dias.

• Quero acreditar que a grande circulação de pessoas idosas em Venâncio Aires, ainda ontem, tenha sido reflexo do primeiro de dia da campanha de vacinação contra a gripe. As pessoas de mais de 60 anos integram o grupo de risco do coronavírus e não podem continuar agindo dessa forma. No fim de semana tinha muita gente na rua também. E isso que eu saí apenas uma vez, à tarde, para ir até o mercado.

• Muitas pessoas questionam sobre os motivos pelos quais o preço do litro da gasolina demora tanto para baixar nas bombas dos postos após anúncio do Governo Federal de redução nas refinarias. Passo a mensagem que recebo dos órgãos oficiais, de que a demora se deve aos estoques dos estabelecimentos comerciais em razão de compra a preço maior. Aí vem a seguinte pergunta: “Mas e quando é para aumentar, como é que chega logo?” e, sinceramente, essa eu não sei responder.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome