Gilda Galeazzi concorre à presidência do MTG

Coordenadora da 7ª Região Tradicionalista, Gilda Galeazzi, 65 anos, confirmou à Coluna Cultura Gaúcha da Folha do Mate, nesta quarta-feira, 24, que quer ser a primeira mulher presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG).

Gilda Galeazzi confirma candidatura à presidência do MTG para 2020 (Crédito: Divulgação)

Embora a eleição ocorra somente em janeiro de 2020, durante Congresso Tradicionalista, na cidade de Lajeado, a candidata está em campanha. 

Até o momento, Gilda Galeazzi concorre com mais uma mulher. Elenir de Fátima Dill Winck, da 9ª RT  também reafirma a candidatura. Ela concorreu em janeiro deste ano, com o atual presidente do MTG, Nairioli Antunes Callegaro.

CONHEÇA UM POUCO SOBRE A CANDIDATA

  • Formada em Administração de Empresas
  • Natural de Marau, aos 13 anos, iniciou a trajetória tradicionalista como integrante da invernada Mirim do Centro de Tradição Gaúcha (CTG), Osório Porto
  • Casada com o advogado e conselheiro Benemérito do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Carlos  Medeiros de Mello
  • Primeira mulher a assumir uma coordenadoria, em 1996
  • Há 18 anos é a coordenadora da 7ª Região Tradicionalista

Em seu histórico, a candidata relata que é conhecida por “lutar e defender a sua Região”. E que agora quer se dedicar com o mesmo “esforço e devoção, às 30 Regiões Tradicionalistas (RTS) do Rio Grande do Sul, sempre de forma democrática”.

NAS REUNIÕES

Gilda Galezzi destaca que tem participado de reuniões com sua equipe de apoio e diz que tem sido muito mais assistente do que protagonista. Sou a que menos falo. Gosto de ouvir o que os meus parceiros tem a dizer. Queremos construir, desde já, uma gestão democrática, em que todos tenham voz”, afirma. 

A candidata relata que desde as primeiras conversas com seus apoiadores, ficou definido que, além de expor propostas aos tradicionalistas, o grupo quer, desde já, preparar o caminho para 2020, dialogando com a sociedade e poderes constituídos. É o projeto “FAZER AGORA”, registra.

FILOSOFIA

Segundo Dilermann Zanchett, Assessor de Imprensa da 7ª RT, foi com essa filosofia que a candidata propôs ao deputado federal Ronaldo Santini, (PTB), a criação de uma frente parlamentar no Congresso, para lutar pela cultura gaúcha. A cerimônia de lançamento será no dia 7 de agosto, em Brasília, com a presença de ministros, embaixadores e artistas como César Oliveira (patrono dos Festejos Farroupilhas 2019), João Luís Corrêa e Gildinho, do grupo Os Monarcas. 

De acordo com Zanchett, além do Congresso Nacional, Gilda Galeazzi iniciou uma aproximação com a Assembleia Legislativa. Do encontro com o futuro presidente da Assembleia, Ernani Polo (PP), ficou acertado que o parlamento irá incluir os Centros de Tradições Gaúchas [CTGs] em uma campanha para arrecadar doações, via Imposto de Renda, para projetos sociais envolvendo crianças no tradicionalismo.

Ele acrescenta que dar assistência integral às entidades filiadas em relação a projetos para captação de recursos está no programa de gestão de Gilda. “A ideia é criar um departamento para orientar e dar consultoria a todos os dirigentes tradicionalistas”. 

O QUE DIZ GILDA GALEAZZI

“Para entender como funcionam esses financiamentos públicos, bem como identificar os caminhos que levam aos recursos, já iniciamos  uma série de reuniões com produtores do meio cultural do estado. Nosso futuro é promissor, posso garantir”, diz a Coordenadora. 

“Fiz uma opção de vida pelo tradicionalismo. No inicio, por força de circunstâncias, como esposa de um tradicionalista atuante e, mais tarde, entendendo a importância deste Movimento, senti ser este o melhor caminho a seguir dentro da sociedade”, afirma.

Foi tudo muito rápido. Em duas semanas, o Santini, a quem eu já tinha feito uma provocação há tempos, ainda no rodeio de Marau, em fevereiro de 2019, tinha conseguido as 198 assinaturas. Fiquei impressionada e me dei conta, nesta hora, que basta atitude para conquistarmos nosso espaço”, declara a candidata.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome