Patrícia Padilha é eleita patroa do Erva-Mate

Desde a noite desta quinta-feira, 19, Patrícia Beatris Padilha, 40 anos, é a patroa do Centro de Tradição Gaúcha (CTG) Erva-Mate, gestão 2018/20.

Foto: arquivo pessoal / divulgaçãoxx

Segunda mulher a liderar a entidade, a patroa foi aclamada, em chapa única, por unanimidade pelos associados presentes. A nova patroa assume no lugar de Marcos Cézar Roessler que continuará no cargo de vice-patrão. Fundado no dia 13 de maio de 1968, o CTG Erva-Mate teve como primeira patroa, Adeli Belina. Desde então, 21 dirigentes contribuíram para o crescimento da entidade, que conta com cerca de 600 associados e todos os departamentos constituídos.

Na entidade

Patrícia Padilha ingressou na entidade quando o filho, Lucas, aos seis anos começou a dançar na Invernada Mirim. Atualmente, a patroa divide o tempo de mãe e empresária, ao lado do marido, Edson Cleber Marcelino, casados há 12 anos, com outros compromissos junto ao CTG. Com Formação Tradicionalista (Cfor) e de Avaliadores de Prendas e Peões, a tradicionalista é também presidente da 2ª edição do Festival Artístico Estadual Pré-Mirim (Premiart), que ocorrerá no mês de outubro, realizado pela entidade.

Integrante da Invernada Veterana, Intérprete Solista Vocal, e até então coordenadora da Invernada Pré-Mirim, da qual os filhos Valentina, 8 anos, e Arthur, 6 anos, participam, ela também coordenava a Invernada Dente de Leite.

Para unir ainda mais as gerações, Patrícia conta também com o apoio do filho Lucas, 16 anos, que além de integrante da Invernada Juvenil, é o responsável por acompanhar ela e a irmã, ao violão, em suas apresentações.

Das raízes

A patroa atribui a herança tradicionalista aos seus antepassados. “Meu avô Salustiano Alves Padilha, nunca vi usando outra roupa que não fosse a pilcha, tanto que foi sepultado de pilcha”. Da família paterna, traz as lembranças de terem se criado na lida do campo e muito católica. Relembra o pai, Enio José Padilha, e de suas histórias relacionadas às atividades com doma de cavalos. Embora, efetivamente, participe de uma entidade tradicionalista há uma década, a mãe do Moisés, 22 anos e do Matheus, 20 anos, destaca, ainda, que os filhos sempre participaram de um grupo de danças tradicionais que existia na escola Benno Breunig.

Queremos continuar com o lindo trabalho, com sangue novo, trazendo mais e mais pessoas para o meio tradicionalista. Sonhos e projetos temos. Agora é só torcer e arremangar o casaco, mas respeitando quem fez muito por nós.” Patrícia Beatris Padilha – Patroa – CTG Erva-Mate

Patronagem eleita

Patroa: Patrícia Beatris PadilhaVice: Marcos Cézar RoesslerSota-capataz (secretária): Luana PereiraVice: Fernando Puppe FerreiraAgregada das pilchas (tesoureira): Eliana Bartholdy SimonVice: Decio EllertDepartamento de cavalgadas: Décio Ellert e Charles RibeiroDemais departamentos: em construção