Revitalização: comprometida com a natureza e história

Exuberante e bem preservada, a natureza dá às boas-vindas aos associados e visitantes do Centro de Tradição Gaúcha (CTG) Chaleira Preta. Localizado em Linha Bem Feita, com área de 3,5 hectares, no local, estão o galpão-sede com 660 metros quadrados, totalmente refeito em 2015, a pista de laço, áreas para camping, espaço especial dos assados, e outros para apresentações artísticas. Tudo entrelaçado com a natureza. Neste ano, por lá, o que se vê são as manutenções e adequações que estão a ‘galope’, sem, no entanto, atropelar as áreas verdes.

Canteiro de obras

As melhorias vêm ao encontro de novos olhares da atual gestão, liderada pela patroa, Cátia Carvalho. Ela destaca a importância de preservar a parte física da entidade, sem agredir a natureza. “Iniciamos um projeto, para mostrar que o paisagismo é simples e possível.  Buscamos harmonizar os nossos galpões com flores e plantas diversas, procurando proporcionar lazer, convívio com nossos sócios e implementar a consciência da importância das áreas verdes”, enfatiza.

A pista de laço, totalmente revitalizada, aguarda os laçadores, no próximo fim de semana (Crédito: Beatriz Colombelli)

Para onde se olha tem um espaço em reforma, outros já renovados. Como por exemplo, a pista de laço, casinha do narrador, churrasqueiras, lixeiras, caixas d’água, fiações elétricas, o cantinho do chimarrão, as caixinhas etiquetadas com os utensílios da cozinha, e as flores logo na chegada. Com recursos próprios, para mão de obra, e mutirões realizados pelos associados, as mangas foram arregaçadas e os novos projetos estão sendo viabilizados. “E não para por aí”, sorri confiante e otimista, a patroa.

Menina dos olhos

Se na rua as melhorias unem ‘muitas mãos’, ao adentrar o galpão, e subir uma escada de madeira rústica, vamos encontrar um cantinho que leva ao passado, mantém o presente e mostrará o legado às novas gerações: a secretaria. Construída em forma de mezanino, o espaço tem por objetivo guardar as memórias da entidade, atualmente com 31 anos de história. “A secretaria é uma porta de entrada da instituição. É um meio de comunicação dos sócios com o que rege o CTG. Para nós do Chaleira, não é diferente. O que tornou o projeto, algo de relevância ímpar, no entendimento da atual gestão”, destaca Cátia.

Eventos da entidade e parcerias com a 24ª RT

A patroa, Cátia Carvalho, conta que o Chaleira Preta sediará muitos eventos, neste ano, especialmente, em parceria com a 24ª Região Tradicionalista (24ª RT), coordenada pela venâncio-airense, Luce Carmen da Rosa Mayer. Eventos que vão seguir os protocolos e orientações sanitárias. E como enfermeira, ela está sempre atenta.

Com o comando do capataz campeiro, Paulo de Freitas e equipe, o primeiro evento ocorrerá nos dias 18, 19 e 20, próximo fim de semana, quando a entidade realiza a 39ª Festa Campeira. Ao mesmo tempo, também haverá a seletiva, da 24ª RT, para a Festa Campeira do Rio Grande do Sul (Fecars).

Em paralelo, vai ocorrer uma Oficina Cultural, sobre ‘indumentária campeira’, promovida pelo Departamento Cultural da entidade, na noite da sexta- feira, 18. Além dos palestrantes, a roda de conversa terá a participação da gestão de Prendas e Peões, 2021/22, da 24ª RT. Gestão que tem quatro representantes da entidade: 1ª Prenda, Letícia Schmachtenberg; Prenda Pré-Mirim, Amália Machado Schwengber; Piazito, Théo Ruppenthal Franco e o Peão Veterano, César Carvalho.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques