Sesmaria da poesia gaúcha tem alma de venâncio-airense

A Sesmaria da Poesia Gaúcha – 24 Quadra – será realizada no dia 28 de setembro, em Osório, pela Associação Cultural Sesmaria e prefeitura de Osório. A abertura do festival será a partir das 20h30min, na Câmara de Vereadores, com homenagem ao venâncio-airense Romeu Weber, 63 anos, radicado desde setembro de 1982, naquele município.

Weber iniciou na arte da declamação, ainda na Escola Frida Reckziegel, em Vila Palanque, em Venâncio Aires e seguiu sua trajetória representando o CTG Erva-Mate. Multipremiado, ao longo de sua história como declamador, Weber é o idealizador da Sesmaria, na cidade de Osório, junto com um grupo de trabalho, com o CTG Estância da Serra e a Secretaria Municipal de Cultura, daquela cidade.

Por muitos anos foi organizador, presidente e coordenador-geral do festival. Mais tarde foi criada a Associação Cultural Sesmaria, na qual o presidente permanece por dois anos. Na organização desta Associação, Weber também esteve à frente.

SARAU DA POESIA

Romeu Weber, mantém laços com sua terra natal, onde tem familiares e amigos. Na Capital do Chimarrão também foi o homenageado do 1º Sarau da Poesia Gaúcha, realizado pelo CTG Chaleira Preta, durante a Festa Nacional do Chimarrão, no último mês de maio. Evento idealizado por seu amigo e, também, amante da poesia, Eagro Humberto Müller.

QUEM É O HOMENAGEADO?

ROMEU WEBER , natural de Venâncio Aires, reside em Osório-RS desde 1982. Um dos declamadores mais premiados do Rio Grande do Sul; vencedor de vários Rodeios Internacionais, dentre eles, tricampeão do Rodeio Internacional da Vacaria. Melhor intérprete de diversos Festivais de Poesia. Destacam-se Bivaque da Poesia Gaúcha de Campo Bom, vencedor por quatro vezes e 3º Esteio da Poesia Gaúcha/2017. Um dos idealizadores da Sesmaria da Poesia Gaúcha e Sesmaria Estudantil, de Osório. Recebeu a homenagem pelo seu trabalho no Grupo de Arte Nativas Ilha Xucra, de Florianópolis. Em 2008, foi agraciado com o título de Cidadão Osoriense, pela Câmara de Vereadores. Em 2010 recebeu o título de ‘Declamador da Década’ pesquisa organizada pelo Blog ‘Leo Ribeiro’. Em 2017 recebeu o prêmio Vitor Mateus Teixeira, pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

SESMARIA

“Dos 400 poemas que o festival recebeu, neste ano, os jurados selecionaram dez poesias que irão ao palco no dia 28”, destaca Romeu Weber.


SAIBA MAIS

(Fonte: Associação Cultural Sesmaria)

OSÓRIO
“BERÇO DE TODAS AS CULTURAS”
TERRA DA SESMARIA DA POESIA GAÚCHA

Osório, começou a surgir, no período que chamamos de invernadas, época em que os Bandeirantes desbravaram os pampas gaúchos, em busca de gado xucro, que em rebanhos povoavam o Sul do Brasil, região ainda não bem delimitada, duvidosa se, pertencentes a castelhanos ou portugueses. No momento que o homem passou a fixar-se a terra, valorizando-a, e, tirando dela o seu sustento, passamos, então a denominá-lo de, período das Sesmarias ou Estâncias.

No ano de 1732 foram doadas as primeiras Sesmarias, as quais constituíram as primeiras Estâncias legais em Território Gaúcho, doadas a Manuel Gonçalves Ribeiro e a Francisco Xavier, respectivamente, ambas no Litoral Norte, no atual município de Imbé.
Foi por esse território que se abriu a primeira estrada, a Estrada de Laguna, comunicando Laguna a Colônia de Sacramento. Bandeirantes e depois tropeiros, dentre eles, o pioneiro, Cristóvão Pereira de Abreu, calcaram naturalmente esta rota, viajando por estas paragens, em busca da maior riqueza a olhos vistos, o gado vacum e cavalar, que se criava guaxo, sob a vigília do paciente índio guarani.
Em 1773 foi povoada a Freguesia Estância da Serra, de Nossa Senhora da Conceição do Arroio.
Em 1809, com a criação dos quatro primeiros municípios do Rio Grande do Sul: Rio Grande, Rio Pardo, Porto Alegre e Santo Antônio da Patrulha, a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Arroio, fica fazendo parte deste último.

No ano de 1857, a Freguesia foi desanexada de Santo Antônio da Patrulha e elevada à categoria de Vila, levando consigo vasto território desde Palmares do Sul a Torres.
Em 2 de março de 1934, a Vila de Conceição do Arroio foi elevada a categoria de cidade. Em 24 de maio de 1934, o interventor José Antônio Flores da Cunha, determina a mudança do nome de Conceição do Arroio para Osório, em homenagem ao mais ilustre filho, nascido na Fazenda do Arroio. Os escritos dão conta, de uma certa dúvida, quanto à imposição ou não, do nome do município. O Fato é que, entre os anos 30-32, existiu aqui, um grêmio chamado, Grêmio Flores da Cunha, abrigando mais de duzentos sócios, pessoas influentes no meio social e representantes da política osoriense, ferrenhos adeptos às novas políticas governamentais…


 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome