400 anos de história na Mansão de Chastleton

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMansão pertenceu à mesma família durante quatro séculos
Mansão pertenceu à mesma família durante quatro séculos

Nesta semana retornamos à região dos Cotswolds, minha preferida! Já comentei aqui no blog várias vezes sobre este distrito bem no coração da Inglaterra, caracterizado por paisagens idílicas e um emaranhado de vilarejos encantadores. Para conhecer a verdadeira Inglaterra é preciso, justamente, aventurar-se pelo interior, recortando estradinhas estreitas e descobrindo rincões preciosos escondidos entre colinas verdejantes e riachos de água límpida.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalBiblioteca
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMuitos quadros antigos emolduram as paredes impregnadas de história
Muitos quadros antigos emolduram as paredes impregnadas de história

A região de Cotswolds deslumbra a qualquer um, até mesmo os menos aficcionados pela vida pacata provinciana. Vilarejos com construções que remontam aos séculos passados esbanjam charme e tranquilidade, transportando visitantes ao passado. A Mansão de Chastleton, localizada no vilarejo de mesmo nome, perto de Moreton-in-Marsh, na região dos Cotswolds, é uma dessas construções formidáveis recheada de história. O casarão foi construído entre 1607 e 1612, quando o Brasil recém despontava nos mapas e no Rio Grande do Sul viviam apenas tribos indígenas.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMuita história na mansão!
Muita história na mansão!
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalUma das tantas salas de jantar
Uma das tantas salas de jantar

A mansão de Chastleton continua intacta, muito bem conservada, tendo sobrevivido a conflitos e invasões que marcaram a história britânica. Durante quatro séculos perteceu à mesma família aristocrata, sendo passada de geração à geração até 1991, quando foi vendida à National Trust, a Fundação de Patrimônio Histórico do Reino Unido e entidade não governamental que mantém centenas de mansões e palácios rurais em todo país. Paredes impregnadas pela história formam um plenário silencioso e intrigante a todos visitantes. A impressão é de julgamento, a cada passo dado no recinto. Já na entrada a mansão impressiona com a fachada dupla de torres construídas no estilo jacobiano. No hall de entrada, sombrio e emoldurado por quadros de antepassados da família, a lareira acesa desperta o clima medieval da mansão. Dali em diante, cada cômodo retrata sua própria história. Voluntários da Fundação vão contando anedotas sobre membros da família e curiosidades de suas vidas no passado.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPrataria antiga no hall de entrada
Prataria antiga no hall de entrada
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalDecoração denota a vida campestre dos antepassados
Decoração da cozinha denota a vida campestre dos antepassados

A mansão se espalha por três andares com decoração original na maioria dos aposentos. Por onde se olha tem um pedacinho da história, em grande ou pequeno detalhe. Eu adoro visitar palácio rurais. Fico encantada com tanta história num lugar só. Em Chastleton fiquei impressionada com a originalidade da mansão. Tapeçaria flamenga embeleza quartos e salas de jantar. Tantas salas, e todas caracterizadas por mobília antiga. Decoração trabalhada em madeira é predominante nas paredes e inclusive nas camas. Diferente de outros palácios que já visitei aqui na Inglaterra, a mansão de Chastleton exala irreverência. Está longe da ostentação e requinte dos palácios neoclássicos.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMadeira se destaca na decoração interior
Madeira se destaca na decoração interior
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalGaleria no último andar
Galeria no último andar

A decoração interior, muito bem conservada, denota uma mescla de decadência e excentricidade. Ela é sublime em sua imperfeição. Subindo e descendo a escadaria de madeira vamos contemplando portas trabalhadas e cristaleiras repletas de porcelana chinesa. Se no terceiro andar a longa galeria de assoalho com tábuas gastas e rangendo sem parar, impressiona pelo teto em abóboda mais longo da Inglaterra, a cozinha, no andar térreo, é um espetáculo medieval com um fogão original do século XVII. Utensílios “modernos” do ínicio do século XVIII e ainda em funcionamento fazem da cozinha uma espécie de museu vivo.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalCozinha foi usada até 1991
Cozinha foi usada até 1991

Aliás, o casarão todo transpira história! Nossa visita terminou com uma longa caminhada percorrendo os jardins em torno da mansão. De um lado, flores do campo adornam bordas irregulares da trilha e do outro, a perfeição dos canteiros de topiarias complementam a grandiosidade da construção. A essência da cultura britânica está aqui, na província interiorana e bucólica, pincelada por paisagens rurais, casarios antigos e majestosos palácios.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalJardins lindos em torno do palácio rural
Jardins lindos em torno do palácio rural

COMO CHEGAR – Distante cerca de 150km de Londres, a melhor opção é de carro para visitar outros vilarejos próximos como Stow-on-the Wold, Moreton-in-Marsh, Chipping Norton entre tantos outros na belissíma região de Cotswolds. Existe a opção de trem (cerca de duas horas de viagem) da estação Paddington até o vilarejo de Moreton-in-Marsh e depois táxi até a mansão (10min).

HORÁRIO DE ABERTURA – de abril à dezembro, das 12:30 às 17horas. Ingressos no local – £10,50 libras adulto ; £6,00 criança

[GALERIA_877]