Fascínio mediterrâneo em Portmeirion

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPortmeirion, no meio de verde, no parque nacional Snowdonia
Portmeirion, no meio de verde, no parque nacional Snowdonia

Uma vila inspirada no calor e glamour da Riviera Italiana, situada na terra chuvosa do País de Gales. Portmeirion é assim, recheada de arquitetura em estilo italiano despontando no meio de uma floresta subtropical no norte do país, na região do parque nacional de Snowdonia e onde o sol quase não aparece. Com suas construções coloridas, em tons terrosos, debruçadas para a imensidão do mar, Portmeirion nos transporta a um vilarejo italiano, com nuances da região Toscana e de Portofino.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalVilarejo inspirado na Riviera Italiana
Vilarejo inspirado na Riviera Italiana
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalCasinhas coloridas contagiam o ambiente
Casinhas coloridas contagiam o ambiente

O projeto desta vila modelo foi concebido e construído pelo arquiteto galês Sir Clough Williams-Ellis (1883-1978). Despojado em suas ideias sobre a influência da arquitetura e natureza no bem estar das pessoas, ainda que excêntrico no jeito de ser, o milionário arquiteto era apaixonado pela estética das cidadezinhas litorâneas da Itália. E assim, em 1925 adquiriu uma imensa área de terras à beira do mar Irlandês, na baía de Cardigan no País de Gales, para iniciar a edificação de um vilarejo inspirado na costa do Mediterrâneo.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPortmeirion atrai cerca de 200 mil visitantes ao ano
Portmeirion atrai cerca de 200 mil visitantes ao ano

Sua proposta era demonstrar a possibilidade de construir em áreas naturais, complementando o ambiente, sem arruiná-lo. Dessa forma, ao longo de 50 anos a vila foi tomando forma, com a edificação de prédios, casinhas, igrejas, terraços, colunas, restaurantes, hotel, praças e jardins e tantos monumentos, réplica da arquitetura italiana misturada ao clássico antigo, no meio do arvoredo e vegetação viscejante. Em 1976, dois anos antes de o arquiteto falecer, foi completada a construção da aldeia. Ao passear por Portmeirion a impressão é de estar caminhando num cenário de filme, com paisagens surreais.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoal
Praça principal

As cores distintas das casinhas construídas nas encostas da colina complementam de forma incrível a vegetação do local. São mais de cinquenta construções situadas em pontos estratégicos. Sem dúvida alguma, o arquiteto galês conseguiu provar sua teoria de é possível harmonizar concreto e paisagens naturais, embelezando ainda mais o lugar. Enquanto muitos prédios históricos no Reino Unido eram demolidos depois da Segunda Guerra Mundial o arquiteto aproveitava para adquirir parte deles, reconstruindo-os em Portmeirion, principalmente em torno da colina.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPórtico de entrada, ao fundo o mar
Pórtico de entrada, ao fundo o mar
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalVilarejo conta com barzinhos, restaurantes, igreja e muitas casinhas que fazem parte do hotel
Vilarejo conta com barzinhos, restaurantes, igreja e muitas casinhas que fazem parte do hotel

Logo na entrada, depois de comprar ingressos, passamos pelo pórtico que nos remete a Portofino, no norte da Itália. O estilo italiano continua na praça principal, emoldurada por palmeiras gigantes. Por aqui turistas disputam cada metro quadrado e o barulho das câmeras fotográficas e celulares facilmente se sobrepõe ao som calmo dos chafarizes e passarinhos cantando. Em cada canto de Portmeirion percebe-se a harmonia entre as construções e a paisagem verdejante, criada pelo arquiteto. Passamos horas perambulando de um lado para o outro, subindo e descendo escadarias, contemplando cada detalhe, entre arcos, estátuas e pequenas sacadas.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMuitos arcos e detalhes para serem contemplados
Muitos arcos e detalhes para serem contemplados
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalHotel foi a primeira construção a ser edificada
Hotel foi a primeira construção a ser edificada

é um passeio para relaxar, repensar a vida absorvendo a energia singular do lugar. Um passeio para desfrutar do ócio sem se sentir culpada! Impossível não se deslumbrar com este lugarzinho que foi um projeto de vida do arquiteto Williams-Ellis. A primeira construção da vila foi o imponente hotel, na beira do mar, e que continua aberto até hoje. O vilarejo particular tornou-se grande atração turística do norte do País de Gales, com mais de 200 mil visitantes ao ano. Portmeirion é seguidamente usado como cenário cinematográfico e comemorações especiais como casamentos e aniversários. Nos anos 60 foi palco do seriado policial britânico, The Prisoner (O Prisioneiro) e também de alguns episódios da série Doctor Who. O vilarejo é também famoso pela cerâmica típica da península, bem colorida e rica em detalhes.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalVista da baía de Cardigan
Vista da baía de Cardigan
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalSeriado policial britânico The Prisoner foi filmado em Portmeirion
Seriado policial britânico The Prisoner foi filmado em Portmeirion

COMO CHEGAR/HOTEL – A melhor opção é de carro pois a conexão com meios de transporte público é difícil. Portmeirion é passeio de um dia, ou até mesmo um pernoite no hotel com vista maravilhosa para a baia. O hotel oferece ainda suites espalhadas pelas graciosas casinhas (cottages) no vilarejo. Mais informação no site (inglês)m – http://www.portmeirion-village.com/

INGRESSOS – Podem ser comprados online com desconto de uma libra ou diretamente na entrada do vilarejo. Nós compramos na hora e foi bem tranquilo, sem fila. Adulto £8, entrada gratuita para crianças com menos de 16 anos. O vilarejo está aberto para visitação durante todo ano, das 9h30min às 19h30min mas as lojinhas e bares fecham às 17h30min.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPortmeirion é uma das atrações turísticas do norte do País de Gales
Portmeirion é uma das atrações turísticas do norte do País de Gales

 

[GALERIA_855]