Passeando na Lituânia

[GALERIA_319]

Este pequeno país na costa do Mar Báltico e que faz fronteira com a Polônia, Bielorrússia, território de Kalingrado (Rússia) e Letônia apresenta uma história milenar fascinante. Pelas ruelas de pedra da capital Vilnius percebe-se logo a imponente arquitetura com construções históricas que remetem ao estilo barroco. Segundo a Unesco, Vilnius é a capital europeia de arquitetura barroca. A história do país se espalha por todas as regiões com magníficos castelos medievais e fortificações monumentais. Até 1991 a Lituânia fazia parte da União Soviética vivendo durante quase cinco décadas sob o regime comunista. Desde a independência da ocupação soviética o país vem se desenvolvendo economicamente e com a adesão à União Europeia em 2004 ganha espaço político no continente europeu. Se antigamente prédios dilapidados acumulavam um patrimônio histórico mal conservado, atualmente o país inteiro vem sendo reformado através de projetos de restauração patrocinados pela União Europeia. Por onde se passa, na cidade ou no campo, igrejas, castelos, prédios antigos e parques estão sendo transformados e embelezados com auxílio financeiro da comunidade europeia . A Lituânia é ainda pouco conhecida na esfera mundial mas apresenta vínculos interessantes com o Brasil. Conversando com uma guia local, descobri que a segunda maior colônia lituana do mundo encontra-se em São Paulo, no bairro Vila Zelina! Muitos imigrantes lituanos chegaram ao Brasil no final do século XIX em busca de terras abundantes e férteis. Acredita-se que o número de descendentes lituanos no Brasil seja ainda maior pois muitas famílias de origem lituana entraram no país como poloneses ou russos na época em que parte do país era dominado pelo império russo. No Rio Grande do Sul, os lituanos foram assentados na cidade de Ijui, em 1890.

Foto: Solange Silberschlag Beglin / arquivo pessoalVilnius, Lituânia
Vilnius, Lituânia

Vilnius – uma capital alegre e cheia de charme

Eu amo viajar, desbravar novos países, conhecer lugares interessantes, descobrindo novas culturas. Mas eu também adoro retornar… voltar a visitar aqueles lugares marcantes ou aquelas cidadezinhas que deixaram o gosto de quero mais. Voltar em época diferente, retornar com o coração descarregado e assim contemplar a beleza dos pequenos detalhes. Por isso que não me canso de retornar à capital da Lituânia. Não importa quantas vezes já a visitei (já foram tantas!), Vilnius esbanja charme e cativa os visitantes em qualquer estação do ano, sempre reservando surpresas agradáveis. Cortada pelo rio Neris, a capital fica dividida com o centro histórico de um lado do afluente e do outro concentram-se prédios modernos com sedes de empresas e bancos. No centro antigo, as ruas estreitas abrigam fachadas arquitetônicas encantadoras, formando um labirinto medieval colorido, repleto de prédios históricos reconstruídos, palacetes e muitas igrejas. Centenas de igrejas. Cerca de 80% dos lituanos são católicos, e a grande maioria praticante. Domingo de manhã caminhando vagarosamente neste emaranhado de ruelas, embalados pelo som dos sinos, contemplamos grupos de fieis entrando e saindo dos inúmeros templos católicos. A cada visita me surpreendo com a riqueza artística desta capital, compacta e acolhedora. Em cada esquina uma estátua para ser fotografada nas pequenas praças que adornam os casarios antigos. Nem sentimos o tempo passar, seguindo as trilhas sinuosas, subindo e descendo ladeira até chegar ao monumento das três cruzes, em homenagem ao cristianismo, no alto da colina.

Foto: Solange Silberschlag Beglin / arquivo pessoalMonumento das Três Cruzes
Monumento das Três Cruzes

A história deste monumento é bem interessante. De certa forma, as três cruzes revelam a rebeldia do povo lituano contra o império russo, que incendiou em 1869 as cruzes originais do século XVII, de madeira, destruindo novamente mais tarde o monumento reconstruído em 1950. Os lituanos reconstruiram, mais uma vez, as três cruzes em 1989, e atualmente o monumento, pintado de branco, reina imponente sob os telhados vermelhos da capital. A vista panorâmica da cidade é encantadora: aqui do alto consegue-se navegar com os olhos pelas ruelas e telhados rústicos, distraídos pelas torres pontiagudas e duomos dourados. O passado de Vilnius situa-se na fronteira de duas civilizações antigas – Latina e Bizantina. Era um reino pagão fundado no século XIII pelo rei Mindaugas, o Grão-Ducado da Lituânia e que durante o século XV se tornou uma cidade medieval cujo charme se mantém até os dias de hoje. O povo é simpático e acolhedor. As ruas lotadas de gente bonita transpiram jovialidade, contrastando o cenário antigo. Nos últimos anos Vilnius vem sendo invadida por jovens e casais europeus em busca de descontração e boa gastronomia. E não faltam restaurantes, cafés e barzinhos! A comida é boa e barata! Se antes o destino era Praga pelo apelo visual e econômico, a moda agora é ir para Vilnius, curtir um fim de semana romântico ou borbulhar na noite lituana. Maravilhoso!

Foto: Solange Silberschlag Beglin / arquivo pessoalPraça da Prefeitura, Vilnius
Praça da Prefeitura, Vilnius