Pelo interior da Inglaterra: mansão rural de puro charme

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMansão de Hinton Ampner está aberta à visitação durante todo ano
Mansão de Hinton Ampner está aberta à visitação durante todo ano

Nesta semana seguimos os passos da nobreza britânica dando um mergulho na vida intrigante de outros tempos, ao visitar a charmosa mansão de Hinton Ampner. Imagine um casarão soberbo, com história que remonta ao século XVI e impregnada por rumores mal-assombrados. Um palacete elegante, transformado ao longo dos séculos pela arquitetura clássica e com magnífica decoração interior estampando o passado glorioso, rica em detalhes, artefatos egípcios, obras de arte italianas e tantos, tantos, ornamentos encantadores. A mansão de Hinton Ampner, no condado de Hampshire, à 120km de Londres, no sul da Inglaterra, é assim, requintada e sublime em sua essência campestre. Construída originalmente durante o período em que a Grã-Bretanha carregava o título de império do bom gosto, esta casa senhorial é uma demonstração clara do poder absoluto que reinava na época entre os círculos da fidalguia rural abastada.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalalameda de ciprestes divide um dos jardins
alameda de ciprestes divide um dos jardins
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalmagnólias magníficas!
magnólias magníficas!

A Inglaterra setecentista viu centenas de palácios e mansões rurais serem erguidos campo afora, em cada canto do país. Propriedades grandiosas em estilo neoclássico despontavam no meio da relva, adornadas por jardins encantadores, lagos e muito verde para satisfazer a aristocracia fundiária. Espalhada pelo interior da Inglaterra a arquitetura georgiana transformou-se no símbolo mais reconhecível da era de ouro do império britânico. A mansão de Hinton Ampner é um clássico exemplo da bonança e excentricidade de outros tempos, exuberante em sua essência ainda que modesta nas proporções. Pertencente à nobre família britânica Stewkely, desde sua construção original, a mansão foi mais tarde, durante o século XX, transformada pelo último herdeiro numa esplêndida residência georgiana e mais tarde, em 1985, doada à Fundação Nacional de Patrimônio Público (National Trust), uma entidade britânica não governamental e responsável pela conservação de centenas de palácios e mansões rurais em todo país.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalJardins maravilhosos em torno da mansão
Jardins maravilhosos em torno da mansão

Durante o século XVIII o casarão foi abandonado por um tempo com fama de mal assombrado depois de misterioso desaparecimento de alguns membros da família. Mais tarde a propriedade foi totalmente restaurada com decoração que permanece até hoje.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalSala de jantar
Sala de jantar
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalDecoração interior que eu adoro, rica em detalhes
Decoração interior que eu adoro, rica em detalhes

Esta mansão prodigiosa onde a nobreza se reunia para aproveitar a tranquilidade do campo hoje em dia está aberta para visitação. Hinton Ampner continua ostentando o charme de outrora e nos dá oportunidade de assim poder reviver um pouquinho da riqueza cultural britânica. E pelo interior do casarão comprovamos a beleza impressionante de cada aposento. A residência mantém a decoração do último herdeiro, Ralph Dutton, amante de obra de arte italiana e história egípcia, e que podem ser apreciadas em todos cômodos.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalBiblioteca, meu cômodo preferido na maioria dos palácios rurais que já visitei aqui na Inglaterra
Biblioteca,sempre meu cômodo preferido na maioria dos palácios rurais que já visitei aqui na Inglaterra
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalVista da biblioteca
Vista da biblioteca
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalDecoração do quarto conserva detalhes de antigamente
Decoração do quarto conserva detalhes de antigamente

Clássicos da literatura britânica preenchem as paredes da biblioteca com vista magnífica para o jardim de topiárias.Se comparada a outros palácios rurais da época, Hinton Ampner é modesta, considerando o número de aposentos. No entanto, o esplendor da mobília antiga, espelhos trabalhados, tapeçaria, quadros e ornamentos espalhados pelos dois andares da mansão são dignos do passado régio. Do hall de entrada aos salões de festa, biblioteca, sala de jantar, passando pelos quartos, a decoração interior do palacete exala sofisticação.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalHall de entrada
Hall de entrada adornado por pinturas e esculturas italianas
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalQuadros de Pelegrini (1675-1741) ilustram o hall de entrada
Quadros de Pelegrini (1675-1741) ilustram o hall de entrada

E nosso deslumbre continua durante o passeio pelos maravilhosos jardins em torno da mansão. Uma mescla encantadora de canteiros irregulares e pitorescos contrastados pelas avenidas de topiárias vai criando aquela paisagem tipicamente inglesa, de flores e arbustos entrelaçados, sem pretensão!

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalTopiarias demarcam um dos jardins
Topiarias demarcam um dos jardins
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPrimavera na Inglaterra!
Delícia de primavera na Inglaterra!

Neste início de primavera os jardins ainda não atingiram seu esplendor máximo no entanto eles completam o cenário de forma surpreendente. O parque verdejante em torno da mansão, na verdade, se alastra campo afora, recortando o terreno em jardins e trilhas para caminhada.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalvista frontal da mansão
vista frontal da mansão

[GALERIA_872]