República de Uzupio

[GALERIA_325]

Uma república de fantasia, com sua própria constituição, exército e bandeira. Assim é Uzupio, o bairro boêmio e artístico de Vilnius que proclamou sua fictícia independência da Lituânia, no dia 1º de abril de 1997 e desde então celebra o dia dos bobos com muita festa. A República de Uzupio foi formada por sonhadores, filósofos e artistas lituanos. O bairro era originalmente um gueto vibrante cheio de artesãos russos e judeus mas depois da Segunda Guerra Mundial ficou abandonado. Durante o domínio da União Soviética, o distrito foi esquecido, prédios e residências ficaram dilapidados atraindo mendigos, bêbados e guerreiros partisans.

Foto: Solange Silberschlag Beglin / arquivo pessoalBairro boêmio e artístico, no centro de Vilnius
Bairro boêmio e artístico, no centro de Vilnius

O bairro de 140 hectares era também local de manifestação e propagação do nacionalismo lituano durante a ocupação russa, pois devido ao estado de abandono pouco chamava a atenção da KGB. Nos tempos de controle da imprensa e de pulverização ideológica, Uzupio era o local em que os lituanos podiam sentir o prazer e orgulho de serem lituanos. Depois do esfacelamento da URSS e a independência da Lituânia, o local voltou a ser um bairro evocativo, mas independente. Hoje em dia muitas construções estão sendo restauradas retomando o charme do quarteirão dos artistas alternativos. Afixada em um muro público mal conservado, na rua Paupio, a constituição da república fictícia chama a atenção pelos seus 41 artigos gravados em placas de metal e traduzidos em nove línguas. Na lei maior da curiosa república consta o direito de ser feliz, de chorar, de sorrir, o direito de ser ocioso entre tantos outros. Passeando de bicicleta pelos caminhos estreitos e sinuosos é impossível não perceber desenhos e grafite livremente esboçados em paredes e muros. Pequenas galerias de artes e oficinas de artesanato vão colorindo a fachada dos prédios antigos. A oficina Galera, uma espécie de incubadora de arte para jovens artistas, denota uma profusão de cores vivas criando um cenário artístico e moderno. O símbolo da república de Uzupio é uma mão furada representando a palma de um árduo trabalhador e está estampado em cartazes e lembrancinhas.

Foto: Solange Silberschlag Beglin / arquivo pessoalConstituição da república fictícia inclui o direito de ser feliz!
Constituição da república fictícia inclui o direito de ser feliz!