Um mergulho no tempo, conhecendo o palácio de Charlecote

O interior da Inglaterra é recheado de mansões e palácios rurais, escondidos no meio do verde, entre vilarejos de estradas estreitas, arvoredo abundante e campos infinitos. Nestes pequenos rincões encontra-se a essência rural da cultura britânica. O passado requintado e principesco do império britânico pode ser comprovado até hoje, ao vivo e a cores, através de monumentos, castelos e palácios espalhados por todo canto do país. Historicamente a monarquia britânica manteve acesa a chama imperialista colonizando numerosos territórios. O império britânico chegou a ser o maior da história e, por mais de um século, fora a principal potência mundial. Este legado arquitetônico do grande império continua a fulgir pelo interior do país com inúmeras mansões rurais e palacetes de época.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPalácio está localizado no condado de Warickshire
Palácio está localizado no condado de Warickshire
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalImagina um jantar a luz de velas... numa noite gelada do inverno inglês...
Imagina um jantar a luz de velas… numa noite gelada do inverno inglês…

Muitos continuam nas mãos das famílias aristocráticas, sem acesso ao público, mas centenas de outras nobres residências se transformaram em pontos turísticos, ou hoteis, e podem ser facilmente visitadas. Tradicionalmente as famílias da nobreza britânica construiam prodigiosas mansões no meio do campo para receber convidados importantes, herdeiros e membros da realeza, principalmente durante o fim de semana.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPórtico remonta ao século XVI
Pórtico remonta ao século XVI
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalJardim vistoso em torno do palácio
Jardim vistoso em torno do palácio

O palácio de Charlecote é um desses lugares recheado pela história fascinante da aristocracia britânica. Localizado no coração da Inglaterra, no condado de Warwickshire, à 150km de Londres e apenas 9km de Stratford-upon-Avon, cidade onde nasceu William Shakespeare, o palácio exala sofisticação. Um clássico exemplo da bonança e excentricidade de outros tempos, exuberante em sua fachada envolta na magnífica arquitetura tudoriana. Construído no meio de um parque gigantesco de 75 hectares e recortado pelas águas do rio Avon, o palácio remonta ao século XVI e desde então pertence à família Lucy.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalAdoro
Adoro “viajar no tempo” contemplando cada detalhe da decoração interior

O interior do palácio é uma verdadeira viagem no tempo, redecorado no estilo vitoriano e repleto de mobília antiga, pinturas e retratos da família, objetos e artefatos colecionados durante viagens dos séculos passados. Em cada aposento pequenos detalhes nos transportam ao mundo da nobreza inglesa e por alguns instantes nos sentimos protagonistas do seriado Downton Abbey ou The Crown!

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalquanto detalhe!
quanto detalhe!
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalBiblioteca, sempre um dos cômodos preferidos
Biblioteca, sempre um dos cômodos preferidos

Nesse festival de riquezas pessoais, mobiliário, , esculturas, porcelanas, instrumentos de música,tapeçaria e obras de arte vamos penetrando no passado da família Lucy. Uma aula de história, ao vivo! Pois nenhum período da história inglesa é tão glorificado como o da dinastia Tudor (1485-1603). Nesta época (que precede o descobrimento do Brasil!), a monarquia inglesa revelava a hegemonia da corte de Henrique VIII. Durante este período da história aconteceu a tradução da Bíblia para o inglês e a consequente legitimação do idioma. A criação da Igreja Anglicana e desenvolvimento do Parlamento se deu sob o commando de Henrique VIII assim como a criação do Reino Unido após o reinado de sua filha Elizabeth I, última monarca Tudor.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoaljardim maravilhoso nos fundos do palácio
jardim maravilhoso nos fundos do palácio

O palácio de Charlecote fez parte da explosão de criatividade da literatura do período, epitomizada por William Shakespeare. O poeta morava bem perto do parque de Charlecote e acredita-se que gostava de caçar, ilegalmente, na propriedade. Reza a história que Shakespeare foi pego caçando cervos e forçado a fugir para Londres a fim de evitar condenação. Mais tarde o jovem dramaturgo vingou-se numa de suas peças de teatro, satirizando a família Lucy. São tantas histórias bem guardadas neste esplêndido palácio rural.

Vista lateral do palácio com as torres elisabetanas bem identificadas

Além dos salões de festas e cômodos pode-se ainda visitar a cozinha, completa e em funcionamento com funcionárias vestidas como criadas preparando bolinhos ingleses. Em outra construção do lado de fora do palácio, encontra-se a lavandaria e fábrica de cerveja e cidra, conservada como na era tudoriana. O passeio se completa pelos lindos jardins em torno da mansão e longa caminhada pelo parque avistando cervos campo afora. O interior da Inglaterra é simplesmente encantador . Entre palacetes rurais e paisagens bucólicas estamos sempre aprendendo mais um pouquinho sobre a história deste país cativante.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalvolta ao tempo!
volta ao tempo!
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalHall de entrada imponente, como manda o figurino
Hall de entrada imponente, como manda o figurino