Sol e câncer de pele

Prevenir sempre foi mais fácil do que remediar. Este raciocínio vale para muitas coisas. Vale também para a prevenção de uma serie de problemas na área da saúde. Estou me referindo especificamente ao câncer da pele, já que, com a chegada da primavera, o sol está ficando cada vez mais forte. Já sabemos de longa data que a exposição prolongada e repetida à radiação ultra-violeta do sol está entre as principais causas do desenvolvimento dos tumores de pele. Com isto passa a ocorrer uma transformação destas células, fazendo com que estas se multipliquem de maneira desordenada, resultando em uma neoformação (neoplasia) de tecidos que não deveriam existir naquele local.

O câncer de pele ocorre especialmente em pessoas muito brancas e que, ao se exporem ao sol sem a devida proteção, costumam sofrer processos de queimadura da pele. Elas se caracterizam, justamente pela dificuldade de obterem um bronzeado. Mais de noventa por cento das lesões situam-se nas áreas expostas. Além disto, estas exposições prolongadas e repetidas, sem a adequada proteção, costumam também causar um rápido envelhecimento cutânea. Ou seja, muita pele seca, tantos pés de galinha e tantas rugas a mais para darem preocupação para aqueles e aquelas que não gostariam de envelhecer.

Vamos tentar relembrar algumas sugestões importantes: Filtro solar sempre. Número? Quanto mais alto melhor. Detalhes? Aplicar vinte minutos antes da exposição ao sol. Isto vale para o dia a dia, como também em momentos de uma maior exposição, como na piscina, em rios ou na praia e quando transpirar muito. Deve também ser reaplicado sempre após o banho um bom chapéu irá trazer seus benefícios. Mas, atenção: a água e a areia refletem os raios ultravioleta do sol.

Mas quem sabe, vamos dar uma examinadinha na face, especialmente lábios, orelhas, nuca e busto, na procura por manchas na pele, feridinhas com “casquinhas” ou que sangram facilmente. Quem sabe, vamos até fazer uma visita ao dermatologista para a avaliação de um destes inocentes “sinais”.

Bom, não quero deixar ninguém apavorado, maaaassss…

Dizem os entendidos que 75% da radiação recebida durante a vida costuma acontecer até a idade dos vinte anos. O efeito da radiação é cumulativo e as lesões geralmente começam a aparecer depois dos “quarentinha”. Portanto, meninos e meninas … se cuidem! O excesso de protetor solar nunca fez mal para ninguém. Somente a sua falta.

1 comentário

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome