Uso correto de remédios

De cada 4 pessoas que buscam ajuda nos serviços de saúde ou de emergências, pelo menos uma não tem seus transtornos identificados corretamente, fazendo com que também não seja tratada adequadamente.

O envelhecimento da população em boa parte dos países, parece também levar a um uso abusivo de medicamentos e bebidas alcoólicas. Existem estudos que mostraram que muitos idosos costumam consumir até 5 produtos sob prescrição médica e 3 produtos sem prescrição, o que muitas vezes representa um uso totalmente errado destes medicamentos.

Verificou-se que 50 % é tomado com má indicação. Entre os produtos encontrados citam-se o Valium, Diempax, Belacodid, Setux, Tylex e Dalmadorm. Nas intoxicações verificadas nos Serviços de Emergência, o Tylenol, Frontal e o Diazepam são os mais encontrados .
A publicidade e os custos com a saúde levam as pessoas a tentar diminuir seus gastos atravéz do autodiagnóstico e do autotratamento. Há também um crescente uso de soníferos, ansiolíticos, analgésicos e antiinflamatórios (em especial do tipo Cataflan).
Existem sérias complicações, que poder vir com o uso errado destes remédios. Podemos ter delírio, sangramento do gástrico, retenção urinária, dificuldade com os intestinos, confusão mental ou até delírio.

Por isto, sintomas, como apresentar-se muito agitado, sinais de delirium, sedação ou sinais de intoxicação, sangramento digestivo e sintomas do tipo perda da consciência, dificuldade respiratória, queda de pressão, devem sempre ser muito bem avaliados . Esta dificuldade de controlar o própria remédio pode levar à manutenção destes idosos ou doentes em asilos, aumentar os atendimentos nos Serviços de Emergência e aumentar as hospitalizações.

No idoso muitas vezes deixa-se de identificar o alcoolismo, até porque muitos não consideram o álcool como uma substância perigosa, podendo até usa-lo para ficar mais alegres, melhorar o apetite ou até para poderem dormir melhor. A combinação de álcool com remédios pode produzir efeitos extremamente perigosos. Existe também uma certa dificuldade em se distinguir os problemas de saúde causados pelo álcool, com alguns efeitos de doenças crônicas ou até de efeitos de alguns remédios. Com isto as consequências do abuso de álcool são muitas vezes diferentes nas diferentes faixas etárias. O alcoolismo ocorre em 14 % dos homens e 1,5 % das mulheres acima de 65 anos e em 21 a 28 % dos homens e 3 a 7 % das mulheres jovens.

Em qualquer caso de tratamento, sempre se deve observar as medidas de prevenção das complicações. Deve-se tratar o quadro agudo, mas também se deve tratar o quadro crônico. Isto deve incluir a família, que necessita receber uma boa orientação quanto às complicações do uso errado destes medicamentos, encaminhamento aos grupos de auto ajuda (AA) e orientação quanto ao uso correto destes remédios.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome