União contra pacote do governo gaúcho

A terça-feira promete ser agitada na Assembleia Legislativa. Começam hoje as discussões em torno dos projetos que integram o pacote de reformas administrativa e previdenciária do Estado e que refletem na carreira dos servidores públicos, entre eles, os professores e os policiais militares. Hoje, dezenas de professores de Venâncio irão a Porto Alegre participar da mobilização convocada pelo Cpers/Sindicato. Brigadianos do município também irão à Capital.

Familiares de policiais militares lideraram uma manifestação na tarde de ontem, em frente à sede da 3ª Companhia da Brigada Militar. Com faixas e cartazes, eles protestaram pela retirada dos projetos contra a segurança e trancaram a saída do quartel. “Não entra nem sai viaturas”, avisou a esposa de um policial.

Para a reportagem, o grupo informou que a ideia era passar a noite no local e receber, ainda ontem, a adesão de professores na manifestação. No começo da noite de ontem, notícia veiculada na imprensa da Capital sinalizou a possibilidade do Governo adiar para janeiro a votação de projetos mais polêmicos do pacote, em convocação extraordinária da Assembleia.

Transporte clandestino
Hoje à tarde, às 14h, na sala da Secretaria Municipal de Segurança Pública, no Parque do Chimarrão, ocorre uma reunião para tratar sobre o transporte clandestino de passageiros em Venâncio Aires.

A demanda é da Associação dos Taxistas de Venâncio Aires que vem cobrando uma solução imediata e que dê fim aos motoristas que estão atuando ilegalmente, ou seja, sem licença para atuar como taxistas. O Departamento de Trânsito já identificou e flagrou situações irregulares e tomou as medidas cabíveis, mas o problema segue.

Reivindicação justa! Enquanto os taxistas trabalham e pagam seus impostos, outros atuam fora da lei. Quem perde é o Município e a população, que muitas vezes é enganada e não sabe que o transporte é irregular.

Falta de água
A semana começou com novas queixas sobre a falta de água na região alta de Venâncio Aires. Ontem pela manhã, redação da Folha recebeu ligação da moradora Sabrina Carissimi. Ela mora há 15 anos no bairro Cidade Alta.

Ela contou que possui caixa d’água na residência, mas com as constantes faltas – na última semana foram quatro dias – a quantidade do reservatório também não é mais suficiente. O assunto foi repercutido na última semana com destaque nas edições da Folha, inclusive no editorial publicado no fim de semana.

O prefeito Giovane Wickert já colocou a Corsan no compromisso. Somente quem passa o dia sem água ou chega do trabalho, à noite, e não pode tomar um banho ou esquentar uma água para o chimarrão ou para uma refeição sabe quanto transtorno a falta de água gera. Vamos seguir acompanhando.

Confraternização da família Chimatur
Família Chimatur comemorou mais um ano de serviços prestados à comunidade. No domingo, 15, ao meio-dia, a empresa reuniu colaboradores e familiares para um almoço de confraternização. O evento foi realizado no La Campana Eventos & Gastronomia.

Depois do almoço, regado a chope e muito sorvete, houve um momento de descontração com os profissionais do Sest Senat, que apresentaram o projeto Transporte em Ação aos colaboradores e familiares. Toda a família Chimatur, capitaneada pelo empresário Adalberto Hamester, se fez presente.

Voluntariado
No fim de semana, uma ação voluntária no caminhódromo do Acesso Dona Leopoldina reuniu comunidade, funcionários públicos e suas famílias.
Eles auxiliaram no embelezamento do local, com pintura e limpeza. Na foto, o prefeito Giovane Wickert e o filho Augusto colocando a mão na massa. Cidadania!

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome