Inter pode sonhar com o título brasileiro?

Foto: Divulgação / InterD

O Inter não está proibido de sonhar em quebrar um tabu que se estende por quase 40 anos.

Venceu o último Campeonato Brasileiro em 1979, quando assistíamos Chico City e Pica-Pau e Tom e Jerry eram desenhos animados de sucessos entre a garotada.

Em 2005 chegou muito perto quando houve a anulação de jogos que beneficiaram o Corinthians e decepcionaram milhões de colorados que lamentaram um pênalti não marcado em Tinga contra o próprio Timão.

Hoje o Inter tenta se remodelar após retornar da Segunda Divisão. É terceiro colocado com 26 pontos em 14 rodadas, quatro atrás de Flamengo e três do São Paulo.

Uma vaga na Libertadores parece estar mais perto a cada rodada em que a equipe se mantém invicta na competição, única para o clube na temporada até o fim do ano.

Nesta segunda-feira, o time e a torcida tiveram paciência para furar o ferrolho do lanterna Ceará e Willian Pottker marcar o gol da vitória.

D’Alessandro e Damião voltaram à equipe no segundo tempo e foram decisivos para o triunfo. 

São dez jogos de invencibilidade e uma campanha em que poucos acreditaram.

Mesmo com um futebol ainda burocrático e de transição lenta em todos os setores, o Inter vem conquistando espaço.

De certa forma, Odair Hellmann conseguiu organizar a defesa e a qualidade de alguns atletas tem feito a diferença. 

Quinta-feira o próximo compromisso é o América-MG, outro adversário da zona de rebaixamento. Domingo, no Beira-Rio, é diante do Botafogo, que vem de duas derrotas. 

Não é de se duvidar que o Inter confirme a boa fase e chegue ao final do primeiro turno brigando pela liderança.

Se não perder quinta-feira, em Minas Gerais, para o América, o Colorado iguala à sua maior invencibilidade na era dos pontos corridos. 

Em 2005, com Muricy Ramalho, permaneceu 11 jogos invicto.

Sonha, Inter!