Precisava ser tão dramática a classificação colorada?

Guerrero marcou gol da classificação ainda no primeiro tempo Foto: Silvio Avila/AFP)

O adversário não passa de um time ajeitado em campo e com mínimo poder ofensivo. Mesmo assim o Inter sofreu horrores para carimbar sua passagem à fase de grupos na Libertadores.

O 1 x 0 sobre o Tolima foi com sofrimento, com dramaticidade. No primeiro tempo, até a venâncio-airense Sarita Vaz surgiu em primeiro plano na tela da RBS TV com as mãos no rosto. Era o momento de pressão do time colombiano sobre Marcelo Lomba.

D’Alessandro fazia sua melhor partida na sua nova posição e numa jogada infantil acabou expulso, deixando o confronto ainda mais indefinido.

E outra vez Coudet teimou em escalar dois volantes que jogam exatamente igual e não produzem nada além de marcar. Ambos estão sempre a um fio de levarem cartões amarelos ou até vermelhos. Menos mal que as vaias do torcedor fez com que o treinador argentino tirasse um deles ainda no tempo inicial. Coube a Rodrigo Lindoso acabar queimado.

O Inter poderia ter sido eliminado em pleno Beira-Rio caso levasse um gol. Não foi porque o adversário contava apenas com um bom jogador. O rápido e habilidoso Leandro Campaz, de apenas 19 anos.

Objetivo alcançado e com dois Gre-Nais inéditos pela Libertadores. E que as lições sejam levadas em conta para o bem da nação colorada.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome