Venda de cerveja nos estádios volta a ser pauta

A venda de cerveja nos estádios voltou a ser assunto em todo o país.

Dos 10 Estados que possuem clubes na Série A do Brasileirão, seis proíbem a venda atualmente, entre eles o Rio Grande do Sul.

Um projeto de lei foi aprovado pela Assembleia Legislativa terça-feira e prevê que os locais possam fazer a venda até o intervalo das partidas, o que não é permitido desde 2008.

Se a lei for sancionada pelo Governo do Estado, favoreceria também os clubes do interior, entre eles o Guarani, que convive com este dilema há 10 anos, desde a gestão do presidente da época, Júlio Battisti.

Há dez anos, o clube vende cerveja dentro de sua sede social, e não nas arquibancadas.

O Veranópolis, que disputa o Gauchão, projeta acréscimo de até R$ 50 mil na receita com a liberação de bebidas alcoólicas.

Visita ilustreQuem esteve no Estádio Edmundo Feix esta semana foi o ex-árbitro e comentarista Carlos Eugênio Simon. Por tantas vezes apitando jogos do Guarani, em Venâncio Aires, desta vez Simon esteve acompanhando o filho Ramiro, de 20 anos, que sonha em ser atleta. Os testes ocorrem até este sábado.

MundialAlém de competente, o Real Madrid é muito ligado. Passou pelo Kashima sem muitas dificuldades e vai enfrentar o Al-Ain nas semifinais do Mundial de Clubes. A queda do River Plate nas semifinais só comprova o crescimento e o investimento dos clubes de outros continentes. Também corrobora a queda de qualidade dos times sul-amercianos.

Grupos da MorteInter e Grêmio tiveram pouca sorte e acabaram em grupos complicados na Libertadores em 2019. Pelo lado Colorado, o atual campeão River e possivelmente o São Paulo estarão no caminho. O Tricolor Gaúcho vai se deparar com os tradicionais Universidad Católica e Rosário Central. Quem se deu bem, teoricamente, é o Cruzeiro, que enfrenta equipes de menor expressão.