A divisão das cadeiras de Vereadores

Cesar Ernsen, que militou no PT, foi secretário municipal no governo anterior e hoje é dirigente do DEM e trabalha como assessor na Secretária do Desenvolvimento Social, dirigida pelo vereador do PTB, José Arnildo Câmara, me envia constatação e legislação sobre a mudança que teremos na eleição de vereadores em 2020.

Não poderão mais ser feitas coligações para eleição de vereador. Cada partido concorre por si. Mas, Cesar alerta para o fato de que existe entendimento geral errado de que só partido que atingir o coeficiente eleitoral, que sai do número de votos dividido pelo número de cadeiras na Câmara, vai eleger vereadores. É feita a divisão de cadeiras entre os partidos que atingirem o coeficiente, mas na sobra de votos para destinar as cadeiras restantes, os partidos que não atingiram o coeficiente também participam.

Cesar fez uma simulação de como seria a composição da atual Câmara de Vereadores, com 15 cadeiras, sem as coligações.

Hoje PDT, PTB e MDB tem 3 vereadores eleitos cada um, PSB e PSD 2 cada um, PP e PSC 1 cada um.

Levando em conta as regras da próxima eleição, sem coligações, sobre a eleição de 2016, a Câmara atual teria esta composição; PDT e PTB 4 vereadores cada um, PSB 3, MDB 2, PSD e PT 1 cada um. PP e PSC não teriam vereadores.

Eleição 2016 – Vereador

Partido      Votos

PDT          8.733

PTB         8.136

PSB         5.813

MDB        5.680

PT           2.515

PSD       1.962

PP          1.530

PSDB    1.435

Rede      1.019

PSC        941

PCdoB   701

PPS       522

PRB       471

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome