A semana em Brasília

Representante de Venâncio em Brasília, onde atua no gabinete da presidente Dilma Rousseff, o conterrâneo Selvino Heck, ao enviar sua coluna semanal na Folha, acrescenta anotações no e-mail. Na quarta-feira veio assim:

“Estou enlouquecido. Viajo à tarde para Buenos Aires, de onde volto só na quinta dia 29. Estou tendo que adiantar tudo, mil reuniões e encaminhamentos previstos para os próximos dias. Por isso, por garantia, já envio a coluna de amanhã e a de quinta dia 29. Se houver condições e se valer a pena, faço a coluna diretamente de lá durante a semana que vem.

Por aqui, só agito. Além do lançamento de Programas como o Pronacampo, tem todos os conflitos e negociações para aprovar a Lei Geral da Copa e o Código Florestal, no meio de mudanças nas lideranças do governo no Congresso. Normal para o início do segundo ano de governo, ainda mais ano eleitoral. Tudo ou quase tudo tende a se acalmar quando as alianças municipais estiverem consolidadas e todo mundo tiver que sair pra rua buscar os votos. Até lá, ou seja, primeiro semestre, até o recesso do Congresso, a vida não vai ser fácil.

Da mesma forma, os movimentos sociais, em parte pelas mesmas razões, em parte por razões diferentes, também estão mais mobilizados que o normal. Até porque sabem que a partir de julho as eleições vão dominar o cenário político e o governo vai estar ‘amarradoÂ’ legal e politicamente para atender reivindicações. Ontem (terça-feira), houve uma grande e inédita mobilização de assalariados rurais – alguns milhares -, coordenados pela Contag e seu presidente gaúcho, Alberto Broch. Depois vêm todos os movimentos sociais do campo, pela primeira vez unificados em suas mobilizações, lá por maio ou junho. E aí vem a Rio+20 e A Cúpula dos Povos, que já estão dominando o governo e a sociedade. Está prevista a presença de mais de 100 chefes de Estado e milhares, talvez centenas de milhares, do mundo inteiro. Agora de manhã participei de um debate preparatório promovido pela Secretaria Geral da Presidência e Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, com presença dos ministros Gilberto Carvalho e Isbela Teixeira

Agora em abril, a presidenta Dilma vai visitar os EUA e Obama e vai reforçar o convite para que ele venha ao Rio. Não se sabe ainda se ele vai vir por causa das eleições americanas.

Como se vê, as coisas estão agitadas por aqui, como estiveram por aí até segunda, quando finalmente nosso coirmão conseguiu assinar um contratinho de uma reforminha do Beira Rio. Rsrsrsrsrs…”

Destaques