A superlotação dos hospitais

Um dos dramas pelos quais passa a população brasileira é do atendimento público dos doentes nos hospitais, que continuam mostrando cenas chocantes pela televisão. Mas parte desse drama se deve à cultura de buscar para tudo em primeiro lugar o hospital, quando deveria ser o último recurso, precedido pelas equipes de saúde da família e postos de saúde.

O surgimento das UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), parecidas com pequenos hospitais, começam a resolver parte desse problema. é pelo menos a experiência de Canoas, onde funcionam 4 UPAs entre 7h e 23h e que atendem 60 mil pessoas ao mês. Elas conseguiram retirar 30% a 40% dos atendimentos de emergência nos hospitais, segundo o prefeito Jairo Jorge.

Conforme o prefeito Airton, em Venâncio Aires, com a inauguração da UPA, será possível realizar até 4 mil consultas por mês e mais de 50 mil atendimentos ao ano.

Destaques