Apelo da Estância Nova ecoou

O clima de terror denunciado por moradores de Estância Mariante através da Folha, em função do presídio que fica na localidade fez eco. O vice-prefeito Giovane já foi ao governo do estado levando a situação para pressionar por definições no projeto de construção do presídio fechado. Na Câmara vereadores formaram uma comissão especial para tratar do assunto. O prefeito Airton Artus se adiantou, e de forma efetiva. Antes do encontro proposto pelos vereadores, definiu com o comando regional da Brigada Militar uma ação imediata para devolver dias de um pouco mais de tranquilidade às famílias do nono distrito de Vila Estância Nova e localidades próximas, pedido já feito no final do ano passado e que agora é atendido. Na terça-feira, dia 13, as forças de segurança vãoi em peso até Estância Mariante.

Através da união de forças com o Executivo Municipal, Polícia Civil, Polícia Federal, Exército, Ministério Público, Judiciário e clubes de serviços, mensalmente a BM realizará uma força-tarefa através da promoção de palestras, eventos culturais e esportivos, mapeamento da população, registros policiais e barreiras de identificação. Além disso, dois policiais atuarão permanentemente na segurança dos moradores.

Um avanço que deve garantir noites de sono mais tranquilo para àquelas famílias.

Mas o que a comunidade quer, e já doou um terreno para isso, é a construção de um posto policial definitivo. Assunto para prefeitura, Brigada e governo do Estado resolverem e atender.

Mas além disso é preciso concentrar forças e buscar uma definição para o quadro atual de um presídio semiaberto que recebe detentos de alta periculosidade da região metropolitana. Diz-se na localidade que não foge quem não quer.

Como agravante, informações na comunidade de Estância dão conta que meliantes da terra mesmo aproveitam-se do quadro para praticar furtos e assaltos que acabem sendo atribuídos também aos detentos do presídio.

Destaques